quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

O berço de Moussa Marega

Pés de tijolo, desajeitado, sem ponta por onde se lhe pegue. Foram algumas das críticas implacáveis que Marega ouviu na infância. Nos regionais e mais tarde na II Divisão, já como profissional, deu ar da sua graça e deixou saudades no Marítimo e Vitória minhoto, onde encontrou refúgio depois de uma primeira passagem pelo FC Porto em que rapidamente se transformou no patinho feio da companhia. Vê-lo agora em todo o seu esplendor, a desempenhar papel determinante na artilharia dos dragões, a provar que tem condições para triunfar num grande, faz lembrar o golo de Éder que deu a Portugal o título de campeão europeu. É a vingança dos patinhos feios... transformados em cisnes aos olhos dos adeptos. Esta é a história de Marega, nascido e criado num viveiro de grandes craques mundiais.


O bairro Les Ulis, onde Marega nasceu



As camisolas de Martial, Evra e Henry que tal como Marega, iniciaram a formação no Club Omnisports des Ulis

Enviar um comentário