sexta-feira, 4 de setembro de 2015

O que é feito... de Elói?



Estou de férias (yes!) e durante este período vou revisitar alguns  jogadores do passado, dos bons aos que nos faziam rir. Elói era dos bons: vencedor de um campeonato e de uma Supertaça (85 a 87). O brasileiro marcou um dos golos nos 9-0 aplicados ao Rabat Ajax na caminhada do dragão até Viena, mas em abril rescindiria contrato. Não tendo estado na final não pôde ser considerado campeão europeu. Mas eu considero-o, tal como Gomes, que falhou Viena por lesão. «O erro mais imbecil da minha vida», admitiria mais tarde. 

Não me lembro se era um dos indiscutíveis da equipa, mas gostava dele. Era um médio franzino, de caracóis e bigodinho louros, que antes de chegar ao FC Porto foi uma grande referência criativa do Vasco mas especialmente do América. Gostava da forma como corria com a bola, como a distribuía. O FC Porto daquela época tinha um «timaço», praticamente todo o plantel era top.

O tempo corre e é implacável. Hoje Elói tem 60 anos está muito diferente, sem bigode e muito menos cabelo. Ainda jogou um ano no Boavista mas depois regressou ao Brasil. Há tempos a SIC fez uma reportagem sobre o antigo ídolo, bem como o MaisFutebol. Ainda foi durante dois anos treinador, mas dedica-se atualmente ao agenciamento de jogadores.  

CARREIRA DE ELÓI

Juventus de São Paulo
Portuguesa
Inter Limeira
Santos
Vasco
Génova
FC Porto
América
Boavista
Fluminense
Campo Grande
Foraleza 
Ceará
Nacional Manaus
Enviar um comentário