domingo, 6 de setembro de 2015

Islândia - não há milagre, há trabalho


Antes da II Guerra Mundial, a Islândia era dos países mais pobres da Europa. Hoje é dos mais desenvolvidos. Não há milagres. Há trabalho e método e, se na vida real, os islandeses lutaram arduamente contra os elementos, no futebol arrancaram há cerca de 14 anos para um projecto de fundo destinado a concretizar um objectivo que muitos julgavam ser impossível: colocar um país com pouco de 320 mil habitantes no mapa do futebol europeu. Este domingo a Islândia confirmou a sua qualificação para o Europeu. 

Como o conseguiu? Esta peça, em inglês, explica bem o milagre islandês. Organização, infraestruturas e a melhoria na formação dos técnicos foram factores fundamentais para o sucesso. Depois, há outro dado, que só se mede em campo: a crença. Os islandeses são um povo extraordinariamente lutador. 

É sempre bom assistir a este tipo de revoluções. Até porque a proeza da Islândia pode puxar pela imaginação de outros pequenos estados. Veja-se o actual quadro: o País de Gales, apesar do empate com Israel, está bem lançado para também alcançar qualificação histórica. A Albânia, outrora adversário desejável, é hoje um rival que suscita o respeito de Portugal. 
Enviar um comentário