quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Dragão: notas de Kiev

O empate do FC Porto em Kiev trouxe à superfície alguns dados: os dragões são melhor equipa que os ucranianos; e, assim de repente, não vi necessidade de Lopetegui alterar a filosofia tática do FC Porto, ao ponto de montar uma estratégia demasiado presa à ideia de anular um adversário que, reforço, é mais fraco que os dragões. 

Tirando isso, um ponto é melhor que nenhum e o empate em casa não reforça os argumentos dos ucranianos. Em tese, o Dínamo Kiev é a terceira equipa mais forte do grupo G e na prática continua a sê-lo, uma vez que não foi capaz de derrotar aquela que todos consideram o segundo melhor conjunto do grupo, o FC Porto. 

O empate do Dínamo surge num lance muito polémico, mas há uma coisa que dou como segura: independentemente da leitura que Casillas fez do fora de jogo posicional de Kravets, devia ter atacado a bola em vez de levantar o braço a reclamar. O espanhol não é árbitro nem auxiliar para tomar como certo o fora de jogo...

Destaque, mais uma vez, para Aboubakar. A média de golos do camaronês na época passada, onde foi utilizado com parcimônia, não caiu do céu. O rapaz é fera e não sente o peso da herança de Jackson. 
Enviar um comentário