sexta-feira, 13 de julho de 2012

Beto, o feroz


Quim precisava de concorrência à altura no SC Braga. Já a tem. É Beto. São guarda-redes separados por seis anos e três centímetros. Quim é mais velho e mais alto, mas no resto até os acho tecnicamente muito parecidos, quase equivalentes. Beto será um concorrente feroz. Não é rapaz de se acomodar, como mostrou na sua passagem pelo FC Porto - dominada por episódios em que deixou transparecer o seu inconformismo pela condição de suplente de Helton. Isso pode ser interpretado - aliás, é mesmo interpretado - por muita gente como um sinal alarmante de sobranceria, capaz de agitar um balneário. Mas, sejamos francos: o que se espera de um profissional de futebol é que não rasgue um sorriso hipócrita na hora de ser segunda escolha ou se limite a encolher os ombros e procurar na conta bancária um refúgio para as frustrações.

Beto esteve num grande e pensou sempre em grande. Não quis saber de estatutos, queria jogar e disse-o abertamente. Podia ter usufruído apenas da situação. Recusou. Saiu e no Cluj foi campeão. Se calhar foi essa forma de estar e pensar que cativou Paulo Bento, porque de outro modo teria sido Quim o terceiro guarda-redes no Europeu. E no Braga, o que vai acontecer? É essa incerteza que a equipa precisa. Que Peseiro procura para todos os setores. É uma incerteza que Berni, uma jóia de homem, não foi capaz de alimentar no seu ano de estreia em Portugal.
Enviar um comentário