sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Detalhes

Três dos cinco golos da goleada por 5-1 do Braga sobre o Maribor surgiram de pontapés de cantos convertidos por Alan. Cada lance teve uma história e desenvolvimentos diferentes, mas sendo prático na análise, diria que foi sobretudo o aproveitamento deste tipo de jogadas que cavou a diferença entre as duas equipas. Sim, no futebol «jogado» o Braga também foi superior ao Maribor, revelando mais qualidade individual e colectiva, excepto num período depois do intervalo em que a equipa de Jardim mergulhou numa certa letargia.

O que quero dizer é isto: no futebol todos os pormenores são importantes e há imensos caminhos e atalhos para se chegar ao golo. Actualmente, o trabalho táctico e estratégico das chamadas equipas pequenas em nada difere dos métodos utilizados nos grandes. Essa universalidade foi a grande conquista dos estudiosos e daqueles que não se acomodaram à ideia de que o futebol são 11 de cada lado e no fim, salvo algum milagre ou partida do destino, ganha a equipa que tiver melhores jogadores.
Enviar um comentário