domingo, 2 de outubro de 2011

Gosto pelo risco

O Braga caiu em Leiria e saiu do poleiro da Liga. Não sei se merecidamente, ou não, porque estive no Trofense-Belenenenses e apenas vi o último quarto de hora do desafio da Marinha Grande: aguçado pela curiosidade, lá encontrei um link muito ilegal na Internet que me trouxe imagens de um jogo que, à partida, era de acrescida dificuldade para o Braga por via da mudança técnica verificada no UD Leiria.

A juntar a isso, as mudanças no onze arsenalista, talvez destinadas a confundir Manuel Cajuda. Esse gosto de Jardim pelo risco é para mim uma surpresa. Pode-se invocar o cansaço de algumas unidades, ou a falta de inspiração de outras, para se explicar alterações tão profundas na estrutura da equipa. Contudo, na antecâmara de uma paragem competitiva era de esperar que o Braga entrasse na batalha com os argumentos em teoria mais consistentes, ou seja, aqueles que o conduziram ao topo da classificação. Neste imenso planeta, só conheço uma equipa que se pode dar ao luxo de pôr o onze de pernas para o ar - o Barcelona.

6 comentários:

Joana disse...

Como estou desanimada sr.pascoal...não me cheira de ver o meu sonho realizado, pelo menos este ano, ver o meu Braga campeão...
eu já nem sei, se é falta de eficácia por parte do treinador, se os jogadores andam desmotivados...
Bem, esperar por boas novas :)

pascoal sousa disse...

Lol. Joana, não me trates por senhor. Tenho 39 anos, OK, daqui a pouco tenho netos, é verdade, mas o senhor está no céu, é o que me diz a minha maezinha. Às vezes é bom levar estes socos no estômago para reflectir. Olha o que aconteceu com o Sporting. No futebol, quando todos os momentos são bons cria-se a ilusão de que está mesmo tudo bem, que não é preciso fazer mais ou melhor. Nenhuma equipa no Mundo é perfeita e todas elas têm que acrescentar algo mais jogo a jogo. Não é culpa do treinador, que é bom e competente nem dos jogadores, que têm qualidade. O Braga está a 3 pontos dos líderes. O drama é relativo, mas a exibição em Leiria deve ser objecto de detalhada análise no balneário.

Anónimo disse...

O Braga começa a ir para a sua posição natural da tabela!

O "enorme" vai acordar e ver que passou a sua melhor fase da sua história sem ganhar nada. Resta a taça de 66! Mais um 6 era o diabo!!

Anónimo disse...

Gosto do regresso do Cajuda que com toda a sua ratice limpou o afilhado do Alberto João e o seu todo poderoso Braga com um dos piores planteis da liga.

ass. Gordo, vai à baliza!

Joana disse...

Peço desculpa, mas é que tem idade para ser meu pai daí o sr :b
eu sei disso tudo, mas nunca gostamos de ver a nossa equipa a perder como é lógico. Temos é de aprender com os erros e aperfeiçoar o que está mal. Só assim se cumprem objectivos.

p.s- cruzes credo (!) que comentário aquele do anónimo...

Cidchen disse...

Perdemos, e mais uma vez, por culpa própria. Apesar das imensas mudanças no onze titular até que não começámos mal a partida na Marinha Grande. Só se via o Braga com a bola nos pés, até que numa infelicidade e na primeira vez que a equipa da União foi à baliza... marcou. A partir daí pensei que fosse ver os Gverreiros a batalharem, a correrem atrás do prejuízo, mas pouco sinal mostraram. Pensei que depois do intervalo as coisas pudessem mudar de figura, mas ainda conseguiu ser pior. Não houve atitude, nada de entusiasmo. O que é que se passa com o colectivo? É necessário mudança. Sofremos a primeira derrota no campeonato a seguir à primeira derrota na Liga Europa. Doeu. Estaria a mentir se dissesse o contrário. Mas... ainda há muito caminho pela frente.