quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Henrique III



Henrique deixou o Feirense a custo zero para assinar um contrato de três épocas com o Olhanense, saltando, posteriormente, para o Braga, no mesmo dia em que Leonardo Jardim foi apresentado como sucessor de Domingos Paciência. Agora, o central está de volta ao ponto de origem, o Feirense. Essa sim, é a chamada volta de 360 graus :) Será que o gigante vai ficar por aqui? Não haverá por aí mais nenhuma equipa disponível para o receber? Três clubes em tão curto espaço de tempo é obra.

17 comentários:

Poente_B5 disse...

Boas
De facto que história mais curiosa!!!
Coisas do futebol...
Por acaso estava com expectativas por ver este jogador na minha equipa, pode ser que fique para o ano (ou então vai ser outro Fernando Alexandre).
Se for para andar sempre a emprestar, não percebo esta politica do meu clube, já parecemos os outros 3.
E eu detesto parecer como os outros 3!!
Outra questão, o Lima sempre sai?
Esta equipa cada vez fica mais diferente das anteriores...
Abraço

pascoal sousa disse...

Não me parece que o Lima saia. Aliás, a esta hora, tenho quase a certeza de que ele não sairá. Uma coisa é ele ter interessados, outra é ele ter clube interessados em pagar 4.5 milhões de euros pelo seu passe. Abaixo disso o Braga nem se chateia a ouvir sondagens, que é o que tem existido mais pelo Lima. Mas para o Lima é sempre reconfortante saber que tem mercado e do bom :)

pascoal sousa disse...

Bom :) Lima não joga com o YB, logo pode haver fogo. Há fumo, pelo menos, mas a proposta terá de subir consideravelmente. Por «aquele» dinheiro nem vale a pena vender Lima. Mas se for muitttttooooo mais, aí...

Pedro Ribeiro disse...

O Lima, vendido por mais de dois milhões, é um negócio da China. Um avançado que tem tantas dificuldades em fazer a recepção da bola nunca será um grande avançado.

Tem outras qualidades, é certo, mas que não são potenciadas no actual modelo de jogo do Braga. Essa é outra questão que nos poderia levar longe - se o sistema e o modelo de jogo era o mais indicado para os jogadores que compunham o plantel...

Pedro Ribeiro disse...

Bigsousa, desculpe o abuso, mas sabe dizer-me (ou consegue informar-se) se Guilherme poderia ou não ser inscrito pelo Braga na lista B, para a UEFA? A mim, parece-me que sim, já que ele cumpre o requisito idade e já está no clube há duas épocas (creio que os pequenos períodos no Vizela não relevam uma vez que se trata de clube-satélite). Guilherme foi inscrito na lista A mas penso que o Braga cometeu um lapso já que a sua inscrição em lista B permitiria a abertura de mais uma vaga (para Rodrigo Galo, por exemplo, ou para uma das novas contratações).

Obrigado e abraço!

Pedro

Rui Ribeiro disse...

Boas Pascoal!

Bem , como eu fiquei mais animado ao ver hoje as contratações do Carlão e do Oleye.

Agora gostava de saber...O Magrão sempre está cá? É o fim da novela?

pascoal sousa disse...

O Magrão vai ser reforço. É o fim da novela (espero eu :)=)

pascoal sousa disse...

Olá Pedro: julgo que não. A lista B está reservada a atletas que entre os 15 e 21 anos foram formados no clube durante três anos seguidos - e não dois. Assim sendo, para a próxima época o Guilherme poderá entrar na Lista B.

Pedro Ribeiro disse...

Está enganado quanto aos anos necessários no clube para ser elegível para uma lista B, na UEFA:

"A player may be registered on List B if he is born on or after 1 January 1990 and has been eligible to play for the club concerned for any uninterrupted period of two years since his 15th birthday by the time he is registered with UEFA." (artº 18, alínea 17 do Regulamento da UEFA Europa League 2011/12).

Os três anos valem sim para qualificar um jogador como formado no clube (independentemente da idade). Na próxima época, Guilherme não só poderá ainda (creio) entrar na lista B como também, daí em diante, poderá ser sempre integrado na lista A como jogador formado no clube. Daí ser, para mim, uma asneira emprestá-lo. Aliás, Jardim já perdeu uma bela oportunidade de lhe dar minutos, dada a exiguidade de opções para jogar frente aos suíços (para continuar a desperdiçar tempo com Barbosa!?!?).

A minha única dúvida é se o facto de durante algum tempo Guilherme ter actuado pelo Vizela "cortaria" essa contagem do tempo. Creio que não porque o jogador continuava a ser elegível para jogar pelo Braga a qualquer momento. Se assim for, penso que o Braga cometeu um erro ou gastar um lugar na lista A com um jogador que poderia ter sido integrado na lista B.

pascoal sousa disse...

Tem razão num ponto: para o ano o Guilherme preencherá os requisitos de jogador formado no clube, como é o caso, agora, de Quim. Mas não é caso, por exemplo, de Pizzi, que jogou dois anos nos juniores e não faz parte da lista B nem dos formados no clube. A parte do regulamento que invoca refere-se especificamente aos jogadores que desde os 15 anos e por um período de dois anos jogaram no Braga até ao momento do registo na UEFA. Pizzi tinha 16 anos quando chegou ao Braga. O Guilherme tinha mais, 18 anos. Se ambos jogaram mais uma época no Braga até completarem 21 entrarão na categoria de formados no clube - e, como bem rectificou, não na Lista B. O tempo no Vizela conta como se fosse no Braga, dado que é clube-satélite. Essa é a minha leitura, sem ter o regulamento em casa :)

Pedro Ribeiro disse...

O Pizzi está fora de questão. Nunca será formado no clube por causa dos sucessivos empréstimos que o impediram de acumular três épocas em Braga (tem apenas duas, uma pelos juniores, a outra jogando pelo Ribeirão, a equipa-satélite da altura). Por outro lado, também já não cumpre o critério da idade para ser integrado na lista B (nasceu antes de 1990).

Contudo, se concorda que o tempo passado no Vizela por Guilherme conta como formação no Braga (como me parece), não tenho dúvidas de que o Braga cometeu um lamentável erro ao enviar as listas de jogadores elegíveis para esta eliminatória da Liga Europa. Guilherme nasceu depois de 1990 e tem dois anos de clube (um pelos juniores, o outro dividido entre a equipa principal e a equipa-satélite, Vizela). Deveria ter sido inscrito em lista B - e poderíamos ter inscrito mais um jogador (Rodrigo Galo ou mesmo outro dos recém-contratados, caso o fizéssemos até quarta-feira).

Acho incrível se de facto, como parece, foi cometido este lapso. Sobretudo quando entre os inscritos se contam dois lesionados - que é duvidoso que possam ser úteis sequer na segunda-mão...

pascoal sousa disse...

O Guilherme não fez uma época inteira nos juniores. Fez meia época, se calhar a questão central é mesmo esta.

Pedro Ribeiro disse...

Creio que uma vez mais está enganado. Guilherme estreou-se pela equipa principal em Janeiro de 2010! Guilherme chegou pelo menos no início de 2009 - nessa altura creio que terá havido alguns problemas com a sua inscrição pelo facto de ser menor - mas estou seguro de que começou a temporada 2009/2010 pela equipa júnior.

Portanto, parece-me claro que Guilherme acumula duas temporadas de formação em Braga. A menos que a questão se jogue por diferenças de dias/semanas, se por exemplo o miúdo foi inscrito nos juniores no final de Agosto de 2009 (pelo facto, não sei se verdadeiro, de a época júnior à altura se iniciar mais tarde). Penso contudo que não é esse o espírito da regra estabelecida pela UEFA.

Cada vez me inclino mais para a hipótese de isto ter sido mesmo um erro da parte do Braga...

pascoal sousa disse...

Se ele se estreou em Janeiro de 2010 fez apenas meia época pelos juniores e não uma época completa (2009/10). Mas vamos combinar o seguinte: vou procurar apurar bem essa história.

Pedro Ribeiro disse...

Ok, mas é indiferente que o jogador actue pelos juvenis, juniores, pela equipa-satélite, equipa-B ou equipa principal para este efeito (basta ler a regra que transcrevi acima, em inglês). Mas de acordo, fico por aqui. Obrigado e um abraço.

pascoal sousa disse...

Certo Pedro, é indiferente. Mas não é indiferente que jogue menos de duas épocas nessas equipas, daí a minha dúvida, que vou tentar dissipar.

pascoal sousa disse...

Pronto, Pedro, finalmente a resposta em termos definitivos sobre essa pertinente questão do Guilherme. Dois motivos concorreram para que não pudesse entrar na lista B: em primeiro lugar, o jogador teria de completar DOIS ANOS CIVIS e não Duas épocas na formação. Pessoalmente, acho isto uma estupidez e faz toda a diferença. De facto, o tempo que o Gui esteve na formação não perfaz os tais dois anos civis, ou seja, 24 meses. Por outro lado, um dado importante: a primeira época dele em Portugal e no Braga foi na condição de cedido pelo Paraíba do Sul, o que muda tudo. Felizmente nestes casos o Braga tem a sorte, ou o mérito, de ter profissionais na estrutura com amplos conhecimentos nesta matéria, e quando digo amplos significa que têm todos os regulamentos e alíneas na cabeça para uma resposta pronta em qualquer competição. Por isso achava que era impossível incorrer-se num erro dessa natureza. Um abraço Pedro.