quinta-feira, 28 de julho de 2011

O futebol - ingrata ciência



Aos 19 anos tinha o mundo aos seus pés. O futebol enganou-o ou foi o destino, não sei. Abdoulaye Baldé não dirá muito ao comum dos adeptos. Mas se recuarem a 2005, quando a França se sagrou campeã europeia em sub-19, descobrirão que Baldé foi o melhor marcador do torneio, numa geração que deu ao futebol nomes como Lloris, Gouffran, Gourcuff, Dyabi e Kaboul, só para citar os mais conhecidos. Nessa altura, Abdoulaye Baldé tinha todos os colossos europeus aos seus pés. Hoje, com 24 anos, está a treinar à experiência num clube da I Liga portuguesa, o Beira-Mar. O futebol não é uma ciência exacta, por isso me causa impressão que a FIFA ache natural (ou pelo menos feche os olhos) ao facto de miúdos de 11/12 anos serem diariamente assediados com promessas de sucesso fácil, só por causa de um talento que pode ser passageiro ou nunca vir a confirmar-se na plenitude na idade madura.
Enviar um comentário