sábado, 30 de julho de 2011

'El trem' Valência



Houve um jogador famoso com este nome, mas desta vez «El Trem» é mesmo o Valência. No seu todo, em especial o Valência demolidor da primeira parte do jogo com o Sporting, que confundiu por completo o leão e o devolveu à terra, em fanicos. Não me levem mal os adeptos do Sporting, mas não consegui ficar indiferente ao vendaval ofensivo dos espanhóis, à classe dos seus jogadores, ao talento que destilaram nas transições ofensivas e às múltiplas soluções de passe que desencantaram ao longo de 45 minutos inebriantes. Nota-se ali muito e bom trabalho de laboratório nos lances de bola parada e nos lançamentos de linha lateral, que, de resto, deram origem a dois golos.

Em suma: mal escolhido o adversário do Sporting para a festa, num dia em que estavam quase 49 mil leões nas bancadas. Sei - porque conheço bem Domingos - que este resultado pesado vai servir de lição para o futuro. No presente, os 3-0 aplicados pelo Valência ao Sporting polvilham de algum realismo a euforia descontrolada e insana que se vive no reino leonino. Uma equipa não sobe ao céu em 90 minutos nem desce ao mais profundo dos Infernos num jogo. Equilíbrio e realismo. Eis o que ainda falta ao Sporting.
Enviar um comentário