terça-feira, 31 de maio de 2011

A revolução bracarense



A grande questão no momento no Braga não é quem sai, mas quem fica. Parece-me que o clube está a pagar um preço mais alto que o esperado pelo sucesso desportivo conquistado nos últimos dois anos, em especial neste. O retorno da magnífica campanha na Champions e Liga Europa traduziu-se na venda recorde do passe de Sílvio [oito milhões de euros] e na provável transferência de Pizzi por valores ainda mais elevados, aproveitando a aura e o prestígio alcançados pelo Braga na Europa e no Mundo. Em Janeiro, Moisés e Matheus renderam 1,5 milhões; as provas da UEFA garantiram um encaixe de 15 milhões.

A outra face da moeda foi a saída de jogadores em final de contrato, que também foram importantes alicerces deste êxito. Artur Moraes, Rodriguez, Miguel Garcia, Paulão, Vandinho, todos se despediram com o passe hipervalorizado; a equipa técnica em massa mudou-se para Alvalade; um ou outro jogador com contrato alimenta a secreta esperança de sair. O assédio não se resume ao plantel, porque outros elementos da estrutura estão a ser fortemente cobiçados...

O Braga de 2011/12 vai ser remodelado a 85 por cento. É uma revolução forçada pelas circunstâncias aquela que Leonardo Jardim vai liderar. Ao nível das aquisições, o Braga dá a ideia de estar inclinado para o mercado africano ou afro-europeu. Imorou [Benin], José Luís [Cabo Verde], Djamal [Líbia] estão contratados, Darragi [Tunísia] é claramente um alvo. Em princípio, o nigeriano Elderson irá permanecer no grupo.

Uma nota apenas, sobre os africanos: em 2012 há uma Taça das Nações Africanas, co-organizada pelo Gabão e Guiné Equatorial. Todas as selecções que aqueles jogadores defendem têm fortes hipóteses de se apurarem para a fase final, que se realiza entre 21 de Janeiro e 12 Fevereiro. Na realidade, a CAN «começa» duas semanas antes quando as selecções entram em estágio. Em tese, o Braga poderá ficar sem 5 futebolistas nesse período da época. É um mercado interessante, mas que comporta este risco...

17 comentários:

Rui Ribeiro disse...

Praticamente o sector defensivo será novo.

Guarda redes passará pelo Quim ou Bracali(Espero que ainda se mantenha a contratação) e a defesa será completamente renovada, caindo sobre o galo a lateral direita. Mesmo assim ainda faltará contratar outro defesa direito para colmatar a saída do Miguel Garcia.

Pedro Ribeiro disse...

Qualquer pessoa com bom-senso percebia que esta equipa estava em fim de ciclo. Não é (apenas) a questão da idade dos jogadores que estava em causa: é o facto de se ter atingido o máximo a que seria legítimo aspirar (na verdade mais do que isso) e ser neste momento natural que muitos jogadores pensem que é a hora de sair, rentabilizando as duas últimas temporadas (sobretudo os mais velhos) e procurando novos desafios. O acórdão Bosman impõe a sua lei aos clubes de países exportadores de talento: os ciclos em que é possível manter a espinha dorsal de uma equipa não ultrapassam 2-3 anos.

Penso que Salvador cometeu alguns erros no capítulo das renovações, sobretudo em relação a jogadores que até há pouco não tinham grande projecção mas que são fiáveis e que faria sentido manter, atendendo até às saídas previsíveis no final da época. Estou a pensar em Paulão e Garcia, por exemplo. Com tempo, penso que teria sido possível renovar. Em relação a muitos outros, penso que haveria pouco a fazer. Não se pode apontar uma pistola à cabeça de um jogador e fazê-lo renovar.

No entanto, não acho que esta remodelação de alto a baixo seja prejudicial. Há uns dias um amigo falava-me, a este propósito, no Porto pós-Mourinho que, segundo ele, cometeu o erro de deixar sair a maior parte da equipa. Eu disse-lhe que o erro foi não ter deixado sair ainda mais jogadores. Jogadores como Costinha, Maniche, Derlei e mesmo Nuno Valente tornaram-se jogadores acomodados, muito longe do rendimento de épocas anteriores. Não se pode construir uma equipa à volta de jogadores sem fome de títulos, que vivem dos louros das conquistas recentes e que eventualmente estarão frustrados por não terem saído para outras paragens. O Braga corre também esse risco com alguns jogadores. Creio que o novo Braga tem de ser construído a partir daqueles jogadores que, transitando da época anterior, têm ainda algo a provar - ou porque a época passada não lhes correu particularmente bem, mesmo que o seu valor seja indiscutível (e.g., Mossoró) ou porque estão ainda há relativamente pouco tempo (e.g., Custódio*). Penso que o Braga dificilmente ganhará em reter Paulo César, por exemplo. Tenho sérias dúvidas em relação a Hugo Viana e sobretudo a Alan: não sei se sobra nestes ambição para se manterem por cá ao máximo nível. É muito importante perceber qual o seu estado de espírito.

Claro que as revoluções comportam riscos. Mas, se há momento para as fazer, é este! Novo treinador, algum desafogo financeiro para investir, alguns jovens com valor de regresso ao clube. Será preciso cuidado em termos de comunicação. É preciso ambição mas é crucial reduzir a fasquia logo de entrada, sabendo que é natural que a próxima equipa precise de tempo para crescer.

* Os excelentes jogos na Liga Europa (final incluída) não garantem contudo a continuidade de Custódio.

P.S.: quando fala em estrutura, está a pensar em Francisco Miranda?

pascoal sousa disse...

Estou a falar do Francisco Miranda e não só. Concordo com tudo o que o Pedro disse. Teria sido importante manter o Paulao e o Garcia, sim, mas sair toda a defesa não é nenhum drama. São posições que, com algum método e inteligência, se preenchem sem grande dificuldade. Será um desafio enorme para Leonardo Jardim. Do ponto de vista técnico, parece-me que estará à altura da tarefa; mas a componente comunicação, leia-se mensagem para o exterior, terá de ser assertiva nos objectivos a atingir, sabendo-se que com Salvador não haverá desafogo em matéria de metas desportivas.

Poente_B5 disse...

BigSousa, não me diga que também querem o roupeiro!! Quer-me parecer que o objectivo do Sporting está mais centro em "diminuir" o SC Braga para ter mais sossego, do que propriamente tentar aproximar-se dos outros 2 do costume!!

Quanto ao resto concordo plenamente com o Rui Ribeiro!
Eu sou apologista deste tipo de gestão... Não há mal nenhum mudar a equipa toda (ou quase), deve-se manter é jogadores com ambição, às vezes até podem ser "piores" do que os que cá estavam, mas se vierem com vontade, isso poderá fazer milagres...
Cá estaremos para ver e comentar...
Abraço

The Blue Factory of Dreams disse...

o Sílvio sempre foi por 8 milhões»?

É muita massa. E negócios que envolvam Atlético deixam-me sempre pulga atrás da orelha ;)

Foi o Mendes a tratar da coisa? Sabe-se quanto desses 8 milhões chegou a Braga? É que da fortuna do Bébé, grande parte ficou com o Mendes, que maquinou a coisa..

O Sílvio é polivalente, faz os 2 lados da defesa, esteve a bom nível e demonstrou que pode ser opção para a selecção.
Mas não deixam de ser números gordos demais.


Essa do Pizzi, só se for outro remake Bébé, que ninguém compreende.

O rapaz tem potencial, desperta curiosidade, mas até ao momento há pouco para apalpar...

3 golos no Dragão não fazem instantaneamente um jogador valer 10 milhões de euros por si só.


Quanto ao Braga 2011/12 não vejo razão para temores em Braga.
A época estará a ser preparada há muito tempo, o treinador é bom, muitas saídas como o Pedro Ribeiro diz pode não ser nada mau sinal...apesar de num caso ou outro poder haver espaço para discussão.

O mercado africano é muito interessante, mas tem vários inconvenientes, porque apesar das valências físicas o jogador africano tem por norma várias deficiências que se denotam várias vezes fatais no futebol europeu.

As Nações Africanas roubam jogadores em Janeiro, a Copa América tira os jogadores da pré-época e dos jogos de início de temporada, todos sofrem com isso.
Tem de se gerir bem essas situações.
o ideal seria não ter muitos extra cmunitários, mas já se sabe em que mundo vivemos,..

Preocupa-me essa situação no FC Porto, vamos ficar sem muitos jogadores na pré-época e início de temporada.

Aproveito também para dizer que espero que não haja mais oferendas do FC Porto para Braga, situação que não agrada nadinha a grande parte dos Portistas, não somos nenhuma Santa Casa da Misericórdia de Braga.

Das dezenas de ofertas que já fizemos não houve retorno algum, nem negócio com qualquer interesse, por isso acabe-se com isso.

Amigos amigos, negócios à parte, afinal tem sido essa a postura de Salvador. Que tenta sempre pedir mundose fundos quando o FC Porto tem interesse em alguém do Braga, ao contrário do que tem acontecido com os não tão amigos de Lisboa..

Cumprimentos

pascoal sousa disse...

A informação que tenho é que foram 8 milhões direitinhos para os cofres do Braga, mais prémios futuros por objectivos, caso o jogador complete um determinado números de jogos e ganhe títulos no Atlético.

O caso do Porto é difente do do Braga. Uma coisa (chata, é verdade) é receber jogadores cansados e férias reduzidas por causa da Copa América; outra coisa (muito chata) é de repente ficar sem 5 jogadores durante quase dois meses a meio de uma temporada. Os clubes franceses, por terem muitos jogadores de origem africana, sofrem quebras incríveis por causa dessa debandada.

CmCorreia: o roupeiro do Braga é bom, mas julgo que vai renovar :P.

Rui Ribeiro disse...

O Problema do mercado Africano é mesmo esse , as Nações Africanas que levam com que os jogadores fiquem ausentes do clube por demasiado tempo.
Tendo em conta que o Braga este ano vai contar com alguns desses jogadores : Djamal , Imorou, Kanu ,Elderson, Zé Luis e possivelmente Darragi(Caso se venha a confirmar)..É praticamente meia equipa que fica de fora.

pascoal sousa disse...

Vamos ver. quando digo que em princípio Elderson vai ficar isso não significa que as coisas não mudem de um instante para o outro. É um caso a avaliar dia a dia.

Miguel disse...

Falando do Francisco Miranda pelo que sei e conhelo não me parece que saia daqui.No entanto sempre pensei que o Vital ficasse e fiquei muito surpreendido por o ver sair,por isso também posso ter uma surpresa neste caso.

Quanto à revolução, estou como o Pedro Ribeiro,por vezes até é bom dado que assim temos a certeza que vamos ter jogadores com ambição e vontade de ganhar,em vez de corrermos o risco de ter jogadores acomodados.O que não quer dizer obviamnete que não gostasse que o Miguel Garcia e o Paulão continuassem.Acho que no caso de saída do 1º.Baiano ou João Gonçalves seriam excelentes alternativas,apar além do Galo claro.

No meio campo e ataque é que me parece que vamos ter os principais jogadores na mesma e até reforçar esses sectores com bons valores.

Por isso,embora confesse que no início fiquei receoso com a razia e com a vinda do Jardim,tenho vindo a ficar cada vez mais optimista.Não vai ser fácil mas acho que o Braga vai formar uma nova equipa super competitiva.Não se pode é exigir mundos e fundos.

Anónimo disse...

Caro Pascoal, quero felicitá-lo pelo excelente Blog, o qual leio assiduamente.
Em relação ao Sílvio penso que fizemos um excelente negócio, aliás no seguimento de vários que o Salvador fez nos últimos anos. Em relação ao Pizzi, 2 questões: Sabe se realmente estas notícias têm fundamento? e que clubes estarão atrás dele? por outro lado confesso que me parecem valores elevados, mas o mercado é assim mesmo, o Sálvio no SLB marcou 5 golos, enquanto que o pizzi marcou no Paços 11 golos, sendo que o valor de mercado do sálvio pelo que dizem os jornais são 15milhões.. Por isso não sei, o mercado é sempre feito de oportunidades, e apesar de lhe reconhecer muitas qualidades ao pizzi, é muito dinheiro! Salvador fará o que melhor entender!

pascoal sousa disse...

Do Pizzi só posso dizer que as notícias têm fundamento, caso contrário não sairiam na Bola :P Vamos esperar um pouco mais para ver o desfecho desse caso. Em relaçao ao lateral-direito, julgo que terá de ser alguém com um pouco mais de experiência e estatuto, sem deixar de ser uma aposta para rentabilizar no futuro.

The Blue Factory of Dreams disse...

Se quanto ao Sílvio é assim...Uau...é o que tenho a dizer. Grande negócio!

Quanto às diferenças Porto/Braga, quanto às ausências na Copa América e Nações Africanas...tendo a concordar...apesar que há uma coisa que penso que esqueceu.

Os jogadores que chegam de novo ao clube. Não fazer a pré-época e perder os primeiros jogos oficiais pode ser o perder do comboio...

Temos Iturbe nessa situação...que vai ao campeonato do mundo nesse caso, mas haverão reforços que vêm da Copa América, segundo julgo saber.
A menos que não sejam convocados.

Mas de resto concordo consigo.


Falei em oferendas e um jornal já vem falar de Sereno. Isso é que era bom.

Se eles querem, paguem. Bem. Tal e qual;)

Qualquer outra coisa é protesto duro. chega!

Abraço

pascoal sousa disse...

O Sereno não era mal visto :P

Pedro Ribeiro disse...

Essa das oferendas do Porto é engraçada. Até parece tirada vinda de um benfiquista! O Braga tem neste momento um jogador emprestado pelo Porto (Ukra) e dois que passaram por lá e que o Porto não quis e "despachou" para cá (Alan e Barbosa). Poderia tê-los despachado para outro lado é verdade mas se não fosse para cá eram remetidos para outro lado qualquer. Que me recorde, a este rol poderemos acrescentar Renteria (empréstimo), Jorginho e Adriano. De todos estes, apenas Alan e Renteria têm ou tiveram papel relevante na equipa do Braga. Alguns até foram "meios-barretes" (Jorginho, Barbosa e sobretudo Adriano). E são/foram jogadores cujo custo, no mercado nacional, poucos clubes suportariam, já que o Porto certamente não estaria interessado em cedê-los aos seus rivais de Lisboa. E essa de pedir mundos e fundos ao Porto ao invés do que acontece com os rivais de Lisboa parece o argumento dos adeptos destes ao contrário! Os factos não comprovam a tese...

Gostava que o Bigsousa tivesse razão em relação à verba recebida por Sílvio mas não creio. Penso que o Rio Ave terá direito a uma parcela e a Gestifute também. Infelizmente, talvez só venhamos a conhecer a realidade deste negócio quando tivermos acesso ao relatório e contas da SAD.

Também não acredito no valor da oferta por Pizzi. Sei que há (pelo menos) uma oferta de valor muito significativo (não sei exactamente quanto), mas longe dos mirabolantes 14 milhões.

Curiosamente, também não estou convencido de que Elderson permaneça no plantel. Ter o Elderson que terminou a época e a incógnita Imorou (por muito que a escolha tenha sido criteriosa) como os laterais esquerdos do plantel parece-me arriscado. Preferia um nome mais fiável, já testado. O mesmo aliás para a lateral-direita, agora que perdemos Garcia. Galo é um bom jogador mas duvido das suas qualidades defensivas. Não por acaso, jogou muitas vezes como médio, em Barcelos.

pascoal sousa disse...

Julgo que quando o Blue falou em «oferendas» se referia mais à parte negocial, isto é, à transferência de Orlando Sá para o Porto a troco de 3,1 milhões, a troca Kieszek-Barbosa e - acrescento eu porque é verdade - a ida de Luís Aguiar para o Axa, quando os dragões abdicaram do direito de preferência para a compra do passe do uruguaio a preço bem simpático - lembro que o Aguiar foi vendido um ano depois ao Dínamo por cerca de 2.5 milhões de euros.

Quanto ao Sílvio: essa é a informação que tenho mas compreendo as reticências levantadas pelo Pedro. Também vou querer ver as contas, se elas nos forem facultadas, o que não sucedeu este ano, por exemplo. Mas tomo a fonte por muito boa, portanto, desse ponto de vista não tenho razões para desconfiar da informação. O grande salto do Sílvio não é de Braga para o Atlético. É o salto que ele vai dar a seguir, e aí sim, a Gestifute irá ter um retorno brutal.

O Elderson é o tal caso em avaliação. Se fosse hoje ficaria, porque as propostas que existem são débeis. Mas o mercado ainda agora abriu e a qualquer momento o nigeriano pode ser transferido.

Carlos Alexandre disse...

a avaliar por estas revoluçoes todas, irá o guilherme ganhar espaço a sério no próximo ano? se calhar era bem aproveitado o momento para isso não?

cumprimentos

pascoal sousa disse...

Dependerá de Jardim e da avaliação que o treinador vier a fazer do potencial de Guilherme. Pessoalmente, votava num empréstimo, para não se correr o risco do rapaz ter outro ano de pouca utilização.