domingo, 22 de maio de 2011

O hino de uma época



...E ainda dizem que numa final não há futebol. Houve 45 minutos de grande espectáculo no Jamor, com golos, emoção, incerteza no resultado, até o FC Porto dar o golpe de misericórdia num Vitória Guimarães que se deixou trair pelos nervos naquele minuto fatídico em que Edgar falhou a grande penalidade. Um 4-3 que seria revitalizador no intervalo transformou-se num 5-2 que levou os conquistadores ao tapete.

Nos comentários da televisão insistiram muito na temática do erro. É um erro. No futebol há já demasiadas variáveis controladas com treino, disciplina e método. A táctica evoluiu muito na última década, mas teve o inconveniente de retirar ao futebol a sua faceta mais espontânea. Hoje foi uma grande final (ou meia, se quiserem), um bom hino ao jogo. E, mais uma vez com uma perna às costas, o FC Porto ganha o quarto título numa época de sonho. O dragão está muito à frente da concorrência.
Enviar um comentário