terça-feira, 3 de maio de 2011

Barcelona - «Special Team»


Foto: Emílio Moratti/AP

El defensa del FC Barcelona Eric Abidal ha regresado a la competición a penas un mes y medio después de ser intervenido de un tumor en el hígado en la vuelta de las semifinales de la Liga de Campeones, llevándose la ovación del Camp Nou, rendido a la fuerza del zaguero galo.

In: ElMundoDeportivo

Para mim, foi um dos momentos mais belos dos últimos tempos no futebol. Abidal é um lutador, um verdadeiro sobrevivente, apoiado por uma equipa que funciona sempre como um colectivo unido, solidário e coeso - como uma família deve ser. Falem dos árbitros, das confusões, de entradas duras, falem do que quiserem, mas este Barcelona é especial. The Special One...

4 comentários:

Pedro disse...

Não estando relacionado com o post, gostava de ler a sua opinião, enquanto jornalista, sobre o seguinte:

"Antes da conferência de imprensa de antevisão do encontro da segunda mão das meias-finais da Liga Europa, Rui Cerqueira, director de comunicação do FC Porto, pediu aos jornalistas para não fazerem perguntas ao treinador e jogador sobre o tema."

Porque razão alguém pede para não se fazerem perguntas?

http://desporto.sapo.pt/porto/artigo/2011/05/04/fc_porto_processa_marca_.html#page=2

Cumps

pascoal sousa disse...

Porquê? Partindo do princípio que o Porto olha para a notícia da Marca como uma calúnia, passível de suscitar uma queixa em tribunal na forma de um processo por difamação, faz todo o sentido que o clube não queira dar «asas» ao tema. Isso seria valorizar a Marca e até certo ponto desviar os intervenientes do essencial - o jogo com o Vilarreal. Institucionalmente, o Porto tomou as medidas que achou adequadas, através de comunicado e do seu departamento jurídico. Abraço

Pedro disse...

Boa resposta. Politicamente correcta, mas uma resposta.

Intencionalmente, ou não, não falou da vertente do jornalista.

Que peçam aos jornalistas para não fazerem perguntas, não sendo ético, não me choca.
Agora que um jornalista aceite isso já me faz alguma confusão.

Continuação de bom trabalho, no jornal e no blog.

Cump

pascoal sousa disse...

Pedro, estamos a falar de uma conferência de Imprensa aberta, não de uma entrevista. Se me fosse imposto não fazer perguntas de determinada índole numa entrevista, obviamente que isso seria inaceitável. Várias enrevitas ficaram pelo caminho por causa disso ao longo de 15 anos de profissão. Agora, numa projecção de um jogo da Liga Europa, isso não me choca. Tanto quando julgo saber, foi um pedido, não uma exigência. Quem quisesse poderia ter levantado a questão na mesma, sabendo que a resposta seria sempre o silêncio. Abraço