quinta-feira, 3 de março de 2011

Gigante Paços



Ponham os olhos no Paços. Quarto lugar no Campeonato - até ver -, finalista da Taça da Liga, equipa muitíssimo bem dirigida por Rui Vitória, um técnico que se afirma pela competência e coragem. Sim, coragem. A irreverência com que os castores jogam, sem temer adversários ou atmosferas adversas, a forma como preenchem os espaço em campo e se desdobram para o ataque é o reflexo de um bom trabalho de laboratório. Defensivamente este Paços não é tão forte quanto isso, mas compensa essa pecha com um vibrante espírito ofensivo que faz bem, muito bem, ao espectáculo. Depois, ver miúdos como David Simão, Pizzi, Nélson Oliveira, Rondon, Caetano (que tem estado lesionado) em crescimento galopante no meio de gente que sabe tratar o couro como Olímpio, Maykon, Cohene, Leão ou Manuel José é motivo adicional para admirarmos o projecto pacense.
Enviar um comentário