sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

A história continua



Foi sofrido, mas o Braga passou. Sinceramente, acho que era difícil pedir mais a uma equipa que abordou a partida com o Lech Poznan com 16 jogadores do plantel principal, alguns deles ainda muito limitados por causa das lesões e outros em claro sub-rendimento (Rodriguez, Kaká, Sílvio), tudo isso somado à quebra anímica decorrente de três derrotas consecutivas. Olhando para este quadro, o Braga até podia ter perdido a eliminatória mas julgo que sairia sempre com a dignidade intacta. Teve sorte na parte final da partida? Muita, mesmo. Aconteceu nos últimos 20 minutos o mesmo que em Poznan: a equipa recuou as linhas e deu a iniciativa ao Lech, que mesmo reduzido a 10 unidades atacou muito e bem, ao ponto de só não ter marcado por manifesto azar.

O facto é este: o Braga vem de uma bela campanha na Liga dos Campeões e agora junta-se a FC Porto e Benfica nos oitavos de final da Liga Europa. Domingos iguala na segunda prova da UEFA o patamar máximo atingido no passado por outros três técnicos do Braga, Fernando Castro Santos, Jorge Costa e Jorge Jesus, com a diferença de percursos a ser marcada pela Champions. Para os que gostam de falar de cor, acrescento outro dado: este plantel do Braga custa 11 milhões de euros e já arrecadou em prémios da UEFA 12 milhões de euros (11,8 da Champions + 640 mil da Liga Europa). Mérito de uma gestão coerente, mas, acima de tudo, mérito do treinador, que não é mestre da táctica nem toureiro, mas tem feito alguns milagres num quadro de grande dificuldade e imensas contrariedades. A história continua...

PS: O que está a acontecer ao Sporting? Ou melhor, o que é que não acontece ao Sporting?

13 comentários:

Anónimo disse...

Fico perplexo como é que a saída de Domingos pode estar "em cima da mesa"...

O que o homem tem passado e superado.

O Braga não pode fazer e desfazer plantéis com as épocas a decorrer, isto não é o Football Manager, a instabilidade só traz maus resultados...

Poente_B5 disse...

Ontem o melhor que nos podia ter acontecido era uma vitória e uma exibição que nos trouxesse confiança para o futuro. (Estes jogadores e treinadores não deixaram de prestar de 1 dia para o outro). A vitória foi conseguida, a confiança, espero que também, se bem que aquela tremideira final a jogar contra 10 possa levar a pensar que nem tudo vai bem. A meu ver falta mesmo confiança! (Por parte de jogadores e treinadores).
Quanto ao que diz de Domingos eu sempre defendi que apesar de alguns erros (quem os não têm?!) a meu ver não é o princiapl culpado das exibições titubiantes deste ano. Como não conheço a realidade por dentro é dificil de avaliar, mas que as coisas não correram com previsto e que as coisas não andam/andaram bem isso é mais que evidente. Para mim um dos grandes problemas deste ano foi que Domingos não teve o plantel que queria (foi a Direcção que "impôs" o plantel), e isso trouxe-lhe muitos problemas, se calhar alguns ainda perssistem. Mas aqui o treinador tb têm uma palavra a dizer, se não está bem muda-se, e ao aceitar os factos terá sempre de assumi-los, por muito que não tenha culpa em muitas coisas, cá para fora não transparece isso. Dou como exemplo o Meyong! Se for falar com os adeptos bracarenses todos eles (ou a maioria) diz que não pecebe porque Domingos quiz renovar com Meyong e que agora quase não o põe a jogar. O problema dessa análise é todos pensarem que Meyong renovou porque o treinador assim quiz, quando na verdade Meyong renovou porque Salvador assim quiz, e Domingos lá teve de aceitar. Outros exemplos há, mas não vale a pena estar a falar, até porque são informações off the record e não vale a pena andar a especular.
Mas resumindo para mim Domingos é um bom treinador, esta época apesar de dificil foi-lhe de certeza muito útil, e no futuro ainda será melhor treinador. Para mim renvava contrato, mas deixem-no trabalhar!!!

Quanto ao Sporting é a lei de Murphy!! Ao Braga tb já aconteceu/acontece o mesmo. O plantel do Sporting não é excelente mas tb vale mais do que está a mostrar, mas não acompanho muito para opinar com mais exactidão.

Pedro Ribeiro disse...

Com franqueza, se exceptuarmos aqueles minutos finais (em superioridade numérica!) que só a intranquilidade e a falta de confiança (e algum défice físico em alguns jogadores) explicam, pareceu-me um jogo relativamente simples. O adversário melhorou no segundo tempo (pior do que no primeiro era impossível) mas, não fora as já usuais abébias defensivas (duas faltas disparatadas que originaram dois livres perigosos e a paragem cerebral dos centrais que ficaram a olhar um para o outro enquanto Rudnevs corria para finalizar), praticamente não teria criado perigo.

Como é evidente, o Bigsousa tem razão num ponto: na perspectiva da SAD, Domingos garantiu já o maior dos objectivos com o comportamento da equipa na Liga dos Campeões (e já agora, com os oitavos garantidos frente ao Liverpool). Com isso, "pagou" o investimento iniciado com a chegada de Jorge Jesus quando, caso não tivéssemos chegado à fase de grupos da Liga dos Campeões teríamos vida complicada, uma vez que grande parte do plantel do início de época não era susceptível de grandes mais-valias (jogadores com alguma idade, alguns em fim de contrato). E garantiu o pagamento desta e da próxima época, sem necessidade de transferências (o que não quer dizer que não se façam).

A questão é que, por muito que os adeptos digam que gostam de taças e de competições europeias, no final das contas, o grande barómetro das épocas é a liga. Como diz Mourinho, aí é que se vê quais de facto são as melhores equipas, é uma prova que dura toda uma época, sujeita a menos imponderáveis do que as restantes.

Já discutimos esta questão, é evidente que os recursos disponíveis agora não são os mesmos (embora, para disputar a Liga, me pareçam suficientes em face dos actuais objectivos) mas os problemas do Braga não nasceram em Janeiro mas arrastam-se desde Setembro...

pascoal sousa disse...

Há um ponto em que percebo a forma como a SAD abordou a época 2010/11. Havia duas correntes no clube, uma que apontava para a necessidade de o Braga investir forte, independentemente de se qualificar ou não para a Liga dos Campeões, e outra, a de Salvador, que insista em manter as directrizes das épocas anteriores em matéria de investimento, salvaguardando a hipótese de abrir os cordões à bolsa caso a equipa passasse a 3.ª pré-eliminatória e depois o play-off da Champions. Para o treinador, a primeira via seria a mais confortável, para o clube a mais danosa. Foi por isso que jogadores como Luís Aguiar, Sílvio, Felipe, Elton e mais alguns casos chegaram a Braga um pouco mais tarde que o desejável. Foi preciso tempo para negociar, baixar fasquias financeiras, em suma, fazer aquilo que o Braga sempre fez e os grandes, por maior capacidade financeira, não têm que fazer - pelo menos não ao ponto de sacrificar a preparação da equipa. As primeiras contratações (Keita, Eduardo, George Lucas, Fortunato) devem ser lidas à luz da necessidade de assegurar o preenchimento de vagas no plantel, numa altura em que o mercado já fervia. O Braga começou a renovação do plantel para esta época pelas segundas linhas. A excepção foi a baliza, mas como se sabe a lesão de Quim colocou um novo problema que também não teve solução fácil. Gerir um clube, uma SAD, é algo muito complexo, há toda uma série de compromissos com bancos, fornecedores e credores que condiciona o investimento no futebol. Gastaria horas a falar sobre isso. Uma leitura atenta dos relatórios disponíveis da SAD do Braga abriria pode eventualmente ser esclarecedora. Se o Braga fosse pela primeira via, estaria a trilhar o caminho que o Boavista escolheu quando os seus dirigentes se deixaram ofuscar pelo brilho do ouro da Liga dos Campeões.

Pedro Ribeiro disse...

Comecei a responder-lhe aqui mas depois alarguei-me demasiado... e publiquei-o aqui:

http://arsenaldebraga.blogspot.com/2011/02/do-modelo-de-gestao-ao-treinador.html

Abraço!

Miguel Nunes disse...

Pascoal, não sei se por razoes profissionais ou até sentimentais pode responder, à questão, mas aqui vai.

Já todos percebemos que o L.Jardim será o proximo treinador do Braga (tinhamos percebido isso ainda antes do dia de hoje, onde parecem ter confirmado de vez tal cenario.

Considera justa a saida do Domingos? Se fosse o Pascoal a decidir. Ele sairia?

um grande abraço

pascoal sousa disse...

Olá,PB. Não me vou colocar na pele de presidente de um clube, isso não :PPPP. É muita areia. Sabe, por vezes a percepção mais importante que podemos ter em relação a um treinador é a sua acção no balneário, e não apenas no campo. Aí eu não entro e o que se vai sabendo é pouco para fazer uma avaliação correcta. No campo técnico, Domingos é de facto um bom treinador - trabalha bem os sectores e a cabeça dos jogadores, imprime dinâmica um modelo que é mais forte do ponto de vista ofensivo que defensivo. Vou antes trocar os papéis: se eu fosse o Domingos, e visse à minha volta todo esse tipo de artigos/rumores/meias verdades/verdades, ter-me-ia antecipado e anunciado o fim do ciclo. Não precisava de o ter o feito pela sua boca, se me está a perceber. De resto, sou daqueles que pensam que uma saída assim proporciona, ou pode proporcionar, a entrada por portas ainda mais sedutoras.Veja-se o que aconteceu com Jesualdo após Braga. O trabalho do Domingos terá de certeza reconhecimento noutras paragens. Quais, não sei. Abraço

pascoal sousa disse...

PB:em futebol nunca se pode falar de justiça. É algo que não existe.O que há é momentos e a avaliação das coisas é feita nesse instante de sorte ou azar, de maré-alta ou baixa. Veja-se o caso de Jesus há uns meses: foi o maior do Mundo, depois foi o técnico mais questionado do Mundo, agora volta a ter o Mundo as seus pés. Mudou o homem? Mudou o treinador? Mudaram os processos? É justo? Não é.

Pedro Ribeiro disse...

Quando há situações que minam as possibilidades de êxito de um treinador, também me parece que o melhor é jogar claro e sair, não assumindo o ónus de decisões de outros. Não sei se as houve (há), mas Domingos, mantendo-se ao comando da equipa, está forçosamente a assumir responsabilidade pelo que acontece, tenha ou não intervenção directa em algumas escolhas. Se houve uma quebra de confiança entre presidente e técnico, Domingos melhor faria clarificando a situação e eventualmente saindo, ainda pela porta grande. Acho que esse timing já passou... e acho estranho se de facto esta situação se arrasta há algum tempo. Recordo que Domingos bateu com a porta em Leiria quando Bartolomeu não foi de encontro à sua vontade, em relação à gestão do plantel.

De qualquer modo, não me admiraria nada que surgisse uma candidatura à presidência do Sporting com Carlos Freitas como homem-forte do futebol e Domingos como técnico...

Em relação à questão da justiça de uma eventual saída de Domingos, penso tal como o Bigsousa que é a pergunta errada. A questão na óptica de Salvador é (ou deve ser) o que é melhor para o futuro próximo do Braga, independentemente do passado mais ou menos recente. É evidente que se a gratidão falasse mais alto, até na óptica da SAD, a mera presença na Liga dos Campeões bastaria a Domingos para merecer a renovação. Mas coloco a seguinte questão ao PB: quando Jesualdo se manteve no Porto, apesar dos insistentes rumores de saída por troca com Jorge Jesus, depois do belo final de época 2008/09, ficou a sensação de que Jesualdo ficou porque mereceu e as iniciais intenções de PC alteraram-se. Terá sido uma decisão justa mas... foi ou não uma boa decisão? Eu sei que concorda que foi uma péssima decisão, em minha opinião, um erro histórico, que custou ao Porto o ressurgimento do Benfica (mesmo que volte a vencer a Liga, nesta temporada).

pascoal sousa disse...

Muito bem, Pedro. Bem lembrado o episódio da renovação do Jesualdo, numa época em que Jesus estava com as coordenadas do GPS viradas para o Dragão. Quanto ao que aconteceu em Leiria, são situações, julgo eu, diferentes: o desejo de ingerência ia chegar ao ponto crítico de o treinador não ter exclusividade na constituição do onze... Quando essa ameaça surge, e antes que seja aberto perigoso antecedente, corta-se o mal pela raiz e normalmente não é a figura máxima que cai...

Miguel Nunes disse...

Verdade. Se o PC agarra o JJ, este Benfica não existia! Mesmo não sendo campeão este ano, para o ano pode perfeitamente voltar a sê-lo.

Sei que o Jesus se manteve no Benfica somente porque LFV o segurou contra tudo e todos. Parece que só mm um ultimato do presidente ("se ele sair, eu vou atrás") a todos os outros dirigentes, permitiram segurar o treinador.

O que diz mt da inteligencia de certas pessoas...

Não percebo pq de momento o Domingos não parece opção para o Porto. È opção para o Sporting. Mas, há que admiti-lo, neste momento um treinador deve ponderar seriamente se pega naquele barco.

Num caso, não tão similiar, mas ainda assim com algumas semelhanças, a decisão de JJ ir p o Benfica, podendo ir p o Porto um ano mais tarde, foi um caso de coragem e de acreditar em si próprio. É isso em si, que o leva por vezes a parecer arrogante. Digo eu...

Quanto às finanças e ao estado que os investimentos com JJ deixaram o Sp. Braga, admito que não sei nada. Mas, se não estou em erro, tb foi o bom trabalho dele que ajudou a vender o Aguiar, J.Pereira, Evaldo, Peixoto (valor irrisório, todavia, acho eu!), e provavelmente houve propostas recusadas por muitos outros. Não sei se com as vendas que se proporcionaram não deu para equilibrar as coisas. É que o homem no Benfica vai conseguir o mm. Gasta, sim. Mas, um,2 anos depois, vende mais caro, pq ele sabe como ng valorizar o produto.

Mas basta de JJ, que não é disso que falamos (ainda que o Pascoal provavelmente se recorde dos tempos em que ainda no Braga, eu vinha aqui expressar a admiração pelas skills tácticas dele).

pascoal sousa disse...

PB:o investimento feito da reconstrução do plantel do Braga teve mais do que retorno. Basta lembrar o Orlando Sá, o Luís Aguiar, o Evaldo, o João Pereira e Eduardo (que já lá estavam mas foram potenciados nos anos seguinte com Jesus e Domingos),o Moisés (custo zero), o Matheus e de certeza que me falham alguns. Lá diz o povo e bem que o barato sai caro. Acho que o grande sucesso do Jesusem Braga, entre outros, foi ter feito do Evaldo um lateral-esquerdo em condições. Ah, e do Vandinho, que era médio direito, um trinco de eleição. Abraço

Pedro Ribeiro disse...

"Não percebo pq de momento o Domingos não parece opção para o Porto." (PB)

Pois essa é também uma questão que me intriga. Pinto da Costa preteriu Domingos em favor de Villas-Boas na época passada. Ninguém acredita que, se quisesse de facto Domingos, não o tivesse conseguido negociar com Salvador. Mas mais: já toda a gente percebeu que Domingos não é sequer alternativa em caso de saída de AVB (de todo o modo, não creio que este saia para já). PC "deixou cair" Domingos, esta é a verdade. Parece haver algo em Domingos que não o convence, apesar da extraordinária carreira do Braga na temporada passada. E PC conhece-o muito bem, certamente. Conhece a pessoa, a sua personalidade e... o seu trabalho porque deve ter visto ao vivo, pelo menos, metade dos nossos jogos da época transacta.

Em relação ao retorno do investimento, independentemente da valorização de alguns jogadores, as finanças da SAD do Braga só estarão (mais) desafogadas em virtude da presença na fase final da Liga dos Campeões.

É verdade que alguns jogadores foram muito valorizados por Jorge Jesus (para mim, o seu maior feito foi tornar Vandinho num trinco de top), mas também é verdade que Domingos valorizou muito jogadores que pouco ou nada foram valorizados com Jesus - e estou-me a recordar de Paulo César, Mossoró e (sobretudo) Matheus. Não tem é culpa que a SAD não tenha renovado contratos a tempo e horas e da idade de alguns destes jogadores (ou da grave lesão de Mossoró na Luz). Este retorno era forçoso porque, como o Bigsousa sabe muito bem, a chegada de Jorge Jesus, implicou uma subida colossal (para a dimensão do Braga) dos custos com o plantel.

Mas volto a dizer, sem as verbas da Liga dos Campeões, mesmo não estando com a corda na garganta, não se pode dizer que a SAD vivesse com desafogo. Como sabe, pelo que se viu das contas das últimas temporadas, a SAD não vive equilibrada sem facturar cerca de 6-7 milhões de euros em transferências por época. Para a nossa dimensão, é muito!