quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Duelos colectivos



Gostei do jogo e sobre duelos prefiro destacar aquele que mais interessa: o de uma grande selecção, como é a Argentina, frente a outra grande selecção da qual nos podemos orgulhar e que pode voltar aos bons velhos tempos -Portugal. Essa história do Messi vs. Ronaldo já me está a causar náuseas. Ao menos, a fazer comparativos, que seja até aos minuto 60, quando o CR7 saiu. Depois disso, toda a estatística correu favoravelmente ao pequeno grande maestro. Impossível não achar que Messi é de outro planeta, não acham?

7 comentários:

Pedro Ribeiro disse...

Penso que o Messi é realmente o melhor. Contudo, como ainda hoje se viu, não é o extra-terrestre que parece em Barcelona, onde está enquadrado numa super-equipa, o que não acontece (pelo menos ainda) com CR7. Messi é mais interventivo que Ronaldo, pelas suas características, mas não me parece que Ronaldo seja menos determinante.

O que acho é que é ainda muito cedo para fazer de Messi um segundo Maradona. Até pode vir a desmentir-me mas ainda não vi Messi (ou outro jogador qualquer) fazer de uma selecção apenas razoável (Argentina 86) campeã do Mundo; ou de um clube sem títulos (Nápoles) bi-campeão nacional, batendo os históricos italianos. No Barça actual, é um pouco mais fácil fazer flores...

Quanto a Portugal, registo apenas a pobreza do nosso leque de escolhas para o meio-campo. Jogar com Meireles na posição 6 deveria ser uma solução de recurso e é um desperdício; bastaram ver uns minutos de Veloso para perceber que tipo de garantias (não) pode este dar. Martins é um elemento instável (física e psicologicamente) como o atesta a irregularidade da sua utilização pelo Benfica mas a verdade é que não se vislumbram outras alternativa. Resta Moutinho (em perda, parece-me) e já não há Tiago. Quem mais?

De resto, Portugal esteve globalmente em bom plano, averbando uma derrota que se pode explicar em boa parte pelas substituições de Paulo Bento no melhor período português. Mas uma selecção com um campo de escolha tão limitado em algumas posições/sectores, não pode aspirar a ser uma equipa de top.

Costa disse...

Acho Bigsousa. E também detesto o folclore que se faz à volta de um duelo que não devia existir. São grandes, enormes, diferentes, e, sobretudo, inseridos em culturas diferentes no que diz respeito a clubes.

O que também me causa algum desgosto, e isto é uma opinião minha, é a forma como o futebol do Cristiano está a evoluir. Está mais jogador? Sim, é capaz. Mas está com um futebol mais "bruto", mais fisico. O que me desencanta um pouco.
O que o próprio parecia tornar fácil há 2, 3 anos atrás, com a sua qualidade técnica, os seus dribles, o seu primeiro e segundo toque e o repentismo (que ainda vai conservando), parece agora mais forçado, mais previsível, e, sobretudo, menos "artístico".
Pensei que, depois de Pelegrinni, Mourinho ia tentar despertar de novo esse perfume que o futebol do nosso menino tinha. Ainda tem, mas anda meio que escondido nas capacidades físicas que agora ostenta. Se é que me faço entender...

Espero que Nani não venha a sofrer do mesmo...

Costa disse...

Concordo com tudo, Pedro. Principalmente no que diz respeito a Messi. Quando sair do modelo Barcelona (nunca??) pode ser apreciado doutra forma. Quando fizer a Argentina sair da "sombra" dos resultados e falhanços em fases finais, outra.

Em relação à nossa Selecção, só gostava de acrescentar uma coisa. Não escondam mais Danny...

pascoal sousa disse...

São dois grandes jogadores.Ponto final. Cada um tem o seu estilo e pontos fortes, mas faz um bem tremendo aos olhos vê-los jogar.

Hugo disse...

Acho que não faz sentido comparar dois jogadores como Ronaldo e Messi. Cada um à sua maneira decidem jogos e fazem das equipas onde jogam das mais fortes do mundo.

Ronaldo todo ele é força, garra, poder físico, explosão e capacidade finalizadora. Messi é um jogador de fantasia, de toque e finta curtos, mais rápido na execução e mais móvel.

E realmente, vale a pena é ver os dois a jogar!

Portugal, quando os jogadores querem e não tem como principal preocupação fazer a folha ao treinador, conseguem ser uma das mais fortes selecções da europa.

Poente_B5 disse...

Boas
Não vi o jogo (só a 1ª parte e mal) mas também corcordo que esta questão de andar a comparar jogadores são fait-divers, não há jogadores iguais, e muitas vezes o mesmo jogador difere de sistema para sistema.
E sim são de facto grandes jogadores (como existem outros, mas estes estão neste momento no top).
Quanto à questão dos médios que o Pedro Ribeiro fala, é um facto.
Numa posição onde sempre tivemos bastante soluções neste momento estamos deficitários.
Para mim muita da culpa são dos clubes, basta ver o que se passa com os nossos clubes principais onde os jogadores dessas posições normalmente são estrangeiros. Na 1ª divisão os únicos que me surgem assim de repente são Pedro Mendes e André Santos (Sporting) Fernando Alexandre (Olhanense) Nuno Coelho (Académica) Hugo Viana (Braga) João Alves (Vitória), e podem haver mais, mas serão jogadores para a selecção?
À falta de melhor...

Abraço

Miguel Nunes disse...

Pascoal, na minha opiniao o Messi é o melhor de sempre. Ele faz tanto ou mais que qualquer outro...numa era em que o jogo é muito mais dificil e complexo, pela redução do espaço para jogar