domingo, 13 de fevereiro de 2011

Avenida central

Um sensacional Benfica na noite em que o FC Porto deu novo sinal de maturidade e força mental ao vencer em Braga. Dois centrais na história de cada jogo: Sidnei, que abriu o festim na Luz, arrancou no início da segunda parte um magnífico passe longo que a arte de Aimar transformou num golo monumental. Foi o melhor Benfica da época, o Benfica «da época passada», reerguido tardiamente. Mas reerguido. Acho que os 79 por cento de posse de bola do Benfica na primeira parte dizem tudo. O Vitória foi simplesmente cilindrado. O outro central, está fácil de ver, é Otamendi, que assinou um bis na Pedreira. É um grande jogador. No primeiro ano de futebol português vai em cinco golos marcados (Liga e UEFA) e se ainda não é indiscutível neste FC Porto de Villas Boas, vai passar a sê-lo. Os dragões passaram um teste decisivo. Não são campeões. Mas já ninguém os segura.

11 comentários:

Hugo disse...

Nunca mais acaba a época... Que suplício!!!

Poente_B5 disse...

Hugo, nem digas nada...
Talvez o pior Braga da era Salvador!
Culpados? Acho que nem vale a pena falar nisso.
Esperasse é que erros como os deste ano não voltem a acontecer!
Que sirva de exemplo, a todos, adeptos incluídos!

Pedro Ribeiro disse...

Penso que o Porto terá dado um passo muito importante para a revalidação do título, definitivo mesmo, caso o Benfica não vença em Alvalade - parece impossível que o Sporting seja um obstáculo sério, mas já se sabe como são os derbies...

No entanto e apesar da vitória justa em Braga, parece-me um Porto muito abaixo do que já foi e claramente abaixo do actual Benfica - que, após uma primeira volta bastante fraca (em termos exibicionais) está no momento alto da época. O Porto que se viu em Braga, reconheça-se esse mérito, soube aproveitar um Braga triste, mais ordenado do ponto de vista defensivo do que tem sido habitual, mas um rotundo zero no plano ofensivo. Marcou na sequência de dois ressaltos e geriu sem grande incómodo o resto do jogo, frente a um Braga que lamentavelmente baixou os braços, ainda a segunda parte ia a meio. O Braga não teve sorte com as lesões que forçaram duas substituições, mas Domingos não foi capaz de transmitir qualquer ambição partindo do banco, sobretudo com a última substituição - incrível como, a perder, esgota as substituições, trocando o lesionado Vandinho por Custódio!

Este Braga faz lembrar a estória da manta curta que ou cobre os pés ou a cabeça. Desta feita, Domingos tentou um regresso ao início de época, apostando numa equipa mais intensa (com Salino) e com olhos nas transições rápidas para o ataque. Durou pouco. Salino é uma sombra do que foi e na frente já não há a explosividade de Matheus. Quando Mossoró e Barbosa estão em dia zero (do português não se pode esperar muito melhor), é difícil que a equipa crie alguma coisa.

A equipa que até agora criava mas defendia lamentavelmente foi desta feita competente em termos defensivos (reduzindo por exemplo as alas do Porto a... zero!) mas foi nula em termos ofensivos.

Lamento dizê-lo mas Domingos está a cavar a sua própria sepultura e já não tenho dúvidas de que, a menos que opere um verdadeiro milagre a breve prazo que faça o presidente mudar de ideias, não ficará na próxima época. E para operar um milagre, Domingos precisa de injectar sangue novo na equipa, para tentar com isso dar uma sapatada anímica no plantel. Se não o fizer... o resto da temporada será penoso!

Cidchen disse...

Não achei o FCP assim tão forte como se tem falado, estava completamente ao alcance do SCB, que infelizmente teve um dia mau para além da arbitragem com palhas nos olhos.

Obrigada pelo esclarecimento do outro post. :-)

pascoal sousa disse...

Pedro: se calhar o Domingos já sabe disso.Se calhar sabe disso há muito tempo. Uma questão: como é que cada um de nós trabalharia com a suspeita (ou mais que isso) de que temos os dias contados na empresa? Agora, a grande questão: e se o Braga terminar em terceiro lugar, um lugar que nunca conseguiu na sua história?; e se for longe na Liga Europa? São muitos «ses».

pascoal sousa disse...

CmCorreia: o pior Braga da era Salvador foi aquele que caiu para o oitavo posto em 2007/08, subindo depois um degrau por causa do caso Meyong (Belenenses). Tanto em termos estatísticos como exibicionais, foi de longe a pior amostra de todas. Acho este Braga capaz de tudo, desde chegar ao terceiro lugar até falhar o acesso a uma competição europeia. É uma equipa que tem de ser avaliada jogo a jogo, porque perdeu previsibilidade.

Pedro Ribeiro disse...

Bigsousa,

a situação actual do Domingos faz-me lembrar a de Jesualdo no Porto, há dois anos, quando, em final de contrato, parecia seguro que estaria de saída, até porque meio mundo sabia da existência de um compromisso verbal com Jorge Jesus (eventualmente, envolvendo o Braga). Contudo, o brilharete do Porto na Liga dos Campeões (a eliminação do Atlético de Madrid e a grande exibição do Porto em Old Trafford na eliminatória seguinte) e a boa ponta final da equipa na Liga tornaram a saída de Jesualdo do ponto de vista "político" dificilmente sustentável, mesmo perante os adeptos portistas. A renovação de Jesualdo passou a gerar então unanimidade e o compromisso verbal com Jesus ficou sem efeito (o que acabou por ser um erro de Pinto da Costa, como na época seguinte se viu, mas isso são outros quinhentos).

Domingos, em minha opinião, só ficará se algo de semelhante suceder, i.e., se conseguir arrancar para um último terço de Liga a um nível que nunca atingiu com continuidade nesta temporada. E com resultados. Sem isso, creio que o destino de Domingos está traçado.

O Braga e Domingos perderam o timing da renovação. Como o Bigsousa sabe (se foi seguindo o superbraga), defendi a renovação de Domingos ainda a primeira volta ia a meio, quando se percebeu que as coisas não estavam a correr bem, ao nível da gestão do balneário. Nessa altura, era necessário dar um sinal claro ao plantel.[Se Salvador aprecia o estilo de gestão de Pinto da Costa, a renovação com o técnico quando em situação de dificuldade é um clássico]. Não sei contudo se o próprio Domingos quereria nessa altura renovar.

Agora, é evidente que esta não é uma situação agradável para o treinador. A sua posição encontra-se fragilizada perante o plantel. Mas Domingos tem, nesta altura, de mostrar carácter e auto-confiança. Deve saber que, se conseguir um bom resultado até final da época, com o crédito que (ainda) tem junto dos adeptos, dificilmente Salvador terá margem para trocar de técnico. Mas tem de acreditar que é possível. Tem de ir à guerra com quem está com ele e com quem está disposto a comer a relva pela equipa e... tem de ser fiel a si próprio. Acho que ele não o tem feito nem o tem sido e, se persistir neste caminho, vai sair injustamente pela porta pequena - e o final de época do Braga será extremamente penoso.

Hugo disse...

É como diz o Pedro: sangue novo. E voltamos a bater na mesma tecla.

Guilherme, Keita, entre outros...

Há que transmitir a mensagem às "vacas sagradas" que o seu tempo acabou.

E como já li por aí...não se admitem tantas e tantas lesões. Só pode ser pouco cuidado e pouco repouso por parte dos jogadores. Tem que haver razões extra desportivas para isso acontecer. Nada mais o explica.

Poente_B5 disse...

Boas Bigsousa,
Quando dizia pior não estava a falar em termos estatisticos ou em termos pontuais!
Estava mesmo a falar em termos de exibições. Mesmo nessa época o nosso futebol não era tão pobre.
Mas encontro similaridades entre as duas épocas, por exemplo pela mesma altura se falou que M. Machado não ia renovar e viria Jorge Jesus, agora fala-se que Domingos não vai renovar e vêm L. Jardim.
Mas enfim, esta época somos capazes de tudo, mas tirando os jogos com Sevilha e Celtic, nunca vi o Braga do ano passado.
Explicações deve haver muitas e eu sou o 1º a dizer que a culpa não é só do treinador, de certeza absoluta!!

pascoal sousa disse...

A mim, Pedro, o que me parece que vai acontecer é mesmo que consiga o 3.º ou 4.º lugares o Domingos sairá na mesma. Mas é a minha suspeita, nada mais que isso. O exemplo que deu, do Jesualdo, foi feliz. De facto, toda a gente e toda a Imprensa dava como certa a sua saída do Porto. Falou-se até de Paulo Bento :p. Certezas absolutas, só na cabeça de Salvador. E tb na de Domingos.

Pedro Ribeiro disse...

Também penso que, neste momento, Salvador está mais inclinado para a troca de técnico. Algumas decisões na esfera técnica (e.g., contratações) não me parecem ter tido o aval de Domingos (ou pelo menos, não terão sido seu pedido expresso). É a minha apreciação, completamente a leste do que se passa "lá dentro". Também não sei se Domingos se sentirá muito confortável com a equipa que Salvador reuniu para gerir o futebol de alto abaixo (e estou a pensar sobretudo em Agostinho Oliveira).

Mas se, por acaso, Domingos cumprir os objectivos e Salvador se decidir pela sua substituição, terá de se haver com o descontentamento de boa parte da massa adepta, para além de deixar o lugar armadilhado para o sucessor que terá a sua margem de manobra (leia-se, paciência dos adeptos) reduzida.

Por isso, não creio que as coisas possam ser vistas de forma tão definitiva. Isto não invalida algum cepticismo da minha parte. Até à vitória de Portimão, após a "limpeza de balneário" de Dezembro-Janeiro, pensei que poderíamos partir para uma grande segunda volta. Mas o episódio Mossoró deixou-me de pé atrás em relação à saúde do novo (velho?) balneário. A forma como Domingos alterou o estilo de jogo da equipa, nesta partida frente ao Porto, também não augura nada de bom e mostra que ele anda um pouco à deriva. Veja por exemplo o seu comentário ao nosso jogo anterior na Madeira: "se as coisas fossem avaliadas apenas pelo fluxo ofensivo que cria, tudo seria fantástico". A equipa que defrontou o Porto esteve nos antípodas do que referiu e não foi só por acção do adversário! Com esta incerteza quanto ao que se pretende da equipa, um bom último terço de Liga é altamente improvável!