terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Vibrações da casa amarela



Há duas equipas esta época que gosto muito de ver jogar. Vestem de amarelo: é o Paços de Ferreira e o Beira-Mar. Dois modelos tácticos distintos, dois estilos que não se confundem. E, no entanto, são equipas que convergem na determinação com que procuram superar as suas aparentes limitações. São conjuntos vibrantes; no caso do Beira-Mar, é a organização espartana da sua estrutura que emerge como arma mais forte; no Paços de Ferreira, a base do sucesso é a irreverência da sua juventude, somada a uma atitude competitiva sempre forte. Em ambos os casos, estamos perante dois treinadores com um futuro promissor: Leonardo Jardim e Rui Vitória.

Não me surpreendeu, por isso, o triunfo por 3-2 (sem espinhas) do Paços no Axa, na Taça da Liga. Tal como não foi surpreendente a vitória, pelo mesmo resultado, do Beira-Mar na Pedreira, à passagem da 10.ª jornada da Liga Zon Sagres. O que me espantou um pouco, hoje, foi o onze do Braga. Esperava ver Hélder Barbosa a titular, para aproveitar a boa onda que trouxe do Algarve; tinha expectativa de ver a equipa compactada num sistema com dois avançados - Lima ao lado de Meyong.

O técnico disse, e bem, que o Braga não pode continuar a jogar desta forma. Mas continuará a jogar assim se não abrir o leque de opções a jogadores que tendo mostrado vontade de sair da sombra são remetidos para o banco, jogo após jogo. Ou todos se sentem parte da máquina, ou a máquina vai continuar a largar peças.

PS: Grande golo de Pizzi, a coroar mais uma exibição de luxo do miúdo cedido pelo Braga ao Paços. É um enorme talento. Em 2011/12 não acredito que seja novamente cedido. Não acredito mesmo.

14 comentários:

Pedro Ribeiro disse...

Pois eu começo a duvidar que Pizzi volte a envergar a camisola do Braga...

Quanto ao jogo, vitória justa do Paços, ainda que acompanhada por vários tiros nos pés da parte da equipa do Braga, como já vem sendo hábito (o Paços também cometeu erros graves mas mal aproveitados pelo Braga), sendo que desta feita, o maior deles veio do seu treinador, ao manter em campo durante 20 minutos um defesa-central lesionado (Paulão), actuando com visíveis limitações. Depois do mal feito (terceiro golo), tentou remediar (entrada de Vandinho) mas o mal já estava feito, com o jogo praticamente decidido. Com franqueza, acho indesculpável tamanha incúria...

De resto, creio que Domingos está com sérias dificuldades na gestão do grupo e que muitas das suas escolhas são ditadas não por razões estritamente desportivas. Não acredito que o caso Mossoró tenha sido completamente sanado. Quando estas coisas acontecem, há sempre fissuras no grupo (penso aliás que o episódio, mais do que motivo para, é sintoma), mais ainda quando os resultados estão aquém das expectativas. Este resultado vem por isso na pior altura para Domingos e para a equipa.

A imagem que me fica desta partida é a do final, já sem ninguém no relvado, e com as bancadas quase despidas de público, e António Salvador sentado ainda na sua cadeira, absorto, fitando o relvado, com cara de poucos amigos. Não me "cheira" bem...

pascoal sousa disse...

Pizzi vai voltar ao Braga. Isso é seguro - a não ser que seja transferido... Quanto ao olhar do Salvador, não me parece prenúncio de surpresa a nível de «outras» mexidas. Se calhar, é só a manifestação da decepção do presidente, que sonha há muito com uma taça interna. Nada está perdido, é bom que se diga. Celebrar o aniversário depois de uma derrota pode ser outro dos motivos para a desilusão de Salvador. Abraço

Cidchen disse...

O Paços esteve bem, e mereceu sem dúvida a vitória. Durante alguns momentos deram-nos uma grande lição futebolística.

Espero que o Domningos e o resto da equipa técnica comecem a abrir os olhos. Não podemos mesmo continuar assim. Não percebedo certas apostas, entradas, mexidas no plantel.

Se esta derrota fosse para o Liga Zon estaria fula, mas sendo para a Taça que é, que eu não ligo patavina, fiquei mais descansada.

Vou terminar por dar os PARABÉNS ao SC Braga pelo aniversário.

Pedro Ribeiro disse...

Pois, em relação ao Pizzi, é exactamente a isso que me queria referir: a continuar a exibir-se a este nível, não me admiraria que fosse transferido sem sequer voltar a vestir a nossa camisola. Sei que renovou por mais duas temporadas mas não sei se o seu contrato tem cláusula de rescisão ou qual o seu valor, caso ela exista...

Costa disse...

Há muito, muito tempo que digo que o Pizzi, tal como outros, pertencem ao plantel do Braga. Há jogadores que apresentam uma maturidade e personalidade dentro de campo, que fazem com que o caminho seja a integração progressiva. Eu tenho grandes convicções nessa área. Pizzi é um jogador crescido, Yazalde também, Guilherme também. Sempre o disse.

O Braga de hoje entristece-me. É um Braga que tanto me dá uma alegria como se uma luz se acendesse (apesar de, mesmo nesses casos, denotar dificuldades), como de seguida oferece o apagão total... é muito estranho.

Domingos não repete um onze (com lesões, castigos, por opção, o que quer que seja, mas não repete), não há estabilidade, há jogadores com a cabeça noutros lados, e nalguns casos (falo por mim) incompetência. A gestão da situação de Paulão ontem é intragável. A opção por Salino também.

Salino (já o disse para trás) não é jogador para o Braga, e a raça e disponibilidade fisica dele é suplantada EM TUDO pela raça, disponibilidade, capacidades técnicas e inteligência de Guilherme. Outro qualquer também fará melhor. Paulo César é um jogador irreconhecível.

Mas, as mentalidades, infelizmente, também fazem o futebol hoje em dia... os que correm muito são os melhores, nem que corram mal... e ouvir, em Braga, no estádio, a ver o mesmo jogo que eu, que o Custódio não presta, quando ele é só, o melhor elemento do Braga do momento...

Estou triste e à espera de novidades! Sinceramente, se a novidade for "outras mexidas" como o Bigsousa disse, acho que já nem apreensivo fico. E há grandes nomes e valores nos bancos do nosso país.

pascoal sousa disse...

Olá, amigos: Costa, eu não disse que as novidades serão ao nível do banco. Foi uma resposta a uma questão subliminar que o Pedro deixou no ar. Despedir o treinador seria o prego final no caixão do Braga - digo-o com toda a convicção e com algum conhecimento de causa. Ele cometeu erros e assumiu-os no fim. Tinha que o fazer. É verdade que o Paulão ficou mais tempo que o necessário no relvado. Havia um central no banco (Aníbal)mas optou-se por colocar Vandinho no eixo. Outro erro, na minha opinião. Que moral tem agora o Aníbal, que é um miúdo com ilusões, que se estreou a titular num jogo de grande exigência, na Ucrânia, frente ao Shakhtar, e que esperava ver essa aposta ter consequência nas alturas em fosse necessário. A questão do Guilherme é ainda mais pertinente, por estarmos na presença de um jogador entusiasmante, de qualidade inegável, a léguas, por exemplo, de um Salino ou de um Custódio. A Taça da Liga tem de servir para estes e outros jogadores crescerem e mostrar a quem é titular que são opções credíveis. Se nem nessa competição isso se verifica, está comprometida a competitividade interna. Isso é um quadro óptimo para o conformismo cavar alicerces num plantel: os titulares fazem serviço mínimo, os suplente vão, progressivamente, perdendo alento para dar luta.

Pedro: não me parece que o Pizzi seja transferido. Não por falta de interessados, que os há, mas porque a política de transferências do Braga ainda funciona na lógica da valorização do activo conforme a idade. O Pizzi vale agora algum dinheiro, mas daqui a um ano valerá o dobro ou o triplo. Vendê-lo agora só batendo com muito dinheiro - não tenho conhecimento que exista uma cláusula de rescisão, o mais provável é que haja uma cláusula de indemnização, como a que tinha o Alan.

O que o Braga precisa agora é de dois reforços de PESO. Ou injectam qualidade ao eixo da defesa e encontram um atacante que complemente o Lima, ou vão passar mal. Olhando para aquela defesa, conclui-se facilmente que o Braga já teve uma estrutura qualitativamente mais forte e capaz.

Abraços e bjs Cidchen

Costa disse...

Pois eu, apesar de reconhecer esse "conhecimento de causa" :) começo a ficar deveras preocupado e a não saber que caminho terá que ser percorrido...

Quanto a Guilherme, estamos conversados. Quanto a Anibal, também. Podiamos (é minha convicção) estar, neste momento, convictos de Pizzi, Yazalde ou Fernando Alexandre, por exemplo.

Esta gestão não é fácil de fazer, é certo, mas pode ser feita de outra forma.

Claro que o futebol se vive de momentos, e, a correr bem, nem se tocava no assunto. Mas no inicio da época, SÓ o jogo de Sevilha me iludiu pelas emoções que gerou (então em Espanha, meu Deus...), de resto, o meu vaticinio foi sendo isto mesmo.

É muito erro num ano só. Uma tempestade de atletas de créditos "demasiado" firmados para vir para o "Braguinha" e para a Europa (já quase todos sairam), e os homens com experiência de campeonato português a levar as coisas (individualmente) mais ou menos a bom porto... Salino não...

ESPERO EU: melhores dias virão...

Hugo disse...

Ora aí está algo que ontem durante o jogo não me saiu da cabeça: para que queremos a academia se nem agora apostamos num jogar como o Guilherme? E acreditem que quando houver essa infraestrutura, não vão aparecer muitos jogadores melhor do que ele. E o Aníbal? Mais vale rescindir com o rapaz, se até atrás do Vandinho está na hierarquia para o lugar de defesa central. Não faz sentido nenhum.

E o Keita, entra bem na equipa contra a académica...e nunca mais é opção. Já chega de Meyong!

Falta nervo, confiança e espirito a esta equipa do Braga! Entra sempre numa onda de "deixa lá ver se o golo aparece" e se aparece, fecham a loja porque o serviço está feito. Se há coisa que não tolero no futebol, é não dar tudo em busca do golo (o que não significa procurar o ataque desenfreadamente).

Esta 2ª volta promete ser um suplício...com este actual plantel!

Venha um central, um extremo/ala e um avançado! E se o Gui não conta mesmo, venha também um médio ofensivo (dinheiro mal gasto).

Miguel Nunes disse...

O Paços entusiasma! Depois do jogo com o Sporting, fiz um texto que mencionava o Simão, o N.Olviveira e o Rui Vitória. Pensei em incluir o Pizzi, mas como n tinha visto qq jogo dele, tive medo de arriscar. Mas, é verdade que já contra o Sporting mostrou qualidade e maturidade.

Sem dúvida que bem trabalhado chegará à selecção nacional!


Se calhar primeiro que o Simao e o Oliveira que tÊm o "infortunio" de estar no Benfica...

Esta época será uma chatice para o Braga... sobra o tentar apurar para a europa...

Xina disse...

Falou-se da questão dos jogadores, poderem vir a abstrai-se da equipa, já que não são opções para a mesma. E referiu-se concretamente o H.Barbosa, que tinha vindo de um boa exibição depois da substituição do Mossóro. Mas o mesmo se aplica a Salino, que já não jogava a algum tempo. E tb ao facto de Barbosa estar directamente envolvido no “caso” Mossóro, que podia vir a gerar algum mal-estar, por ser troca directa.
Eu digo isto numa análise prévia ao jogo, pois posteriormente, a aposta no Salino foi um desastre… Além de quê, Barbosa, foi contratado para extremo… Embora me pareça que onde encaixa melhor é a Nº10. Ou seja, em termos de grupo, não sei até que ponto, a substituição directa no onze poderia criar mossa.
Quanto a questão de Paulão… Parece-me evidente que Domingos não agiu da melhor maneira. Além de ter comprometido no jogo, provavelmente arriscou a sua ausência na próxima jornada!
Quanto a entrada de Vandinho, por vez do Anibal, tenho outra perspectiva. Por principio, acho que os treinadores devem, dar confiança as “alternativas” e nunca o contrário, pois correm o risco de “perderem” o jogador, quer em termos de motivação que em termos de auto-estima e confiança em si próprio! Mas no caso concreto, acho que a equipa precisava de um estimulo extra que o CAPITÃO poderia dar!

Pedro Ribeiro disse...

Quando eu me referi à possibilidade do Pizzi sair, não estava a pensar na vontade do Braga vender mas na hipótese de que a cláusula de rescisão (se é que existe) seja accionada. Se não for suficientemente dissuasora...

Em relação ao Aníbal, percebo o que diz mas ontem penso que a entrada do Vandinho se justificava numa perspectiva de assumir um maior risco (já acontecera, salvo erro, frente à Olhanense). É evidente que convém Domingos falar com o jogador porque, de facto, pode ficar a ideia de alguma falta de confiança. Mas, naquele momento, já em desvantagem no marcador, penso que se justificava uma aposta de maior risco, um jogador com mais saída de bola e não simplesmente a troca de central por central.

Quanto ao Guilherme, o ostracismo a que Domingos o vota, quando escasseiam boas alternativas para o meio-campo, é desesperante. Não sei que mais é preciso para o miúdo ter uma verdadeira oportunidade...

E Vinicius!?!?

Quanto à necessidade de dois reforços de peso, penso que é uma evidência. Para eixo da defesa é uma urgência absoluta. Mas também é importante mais um avançado com capacidade para jogar tanto sobre as alas como no eixo do ataque. O problema é que o hiato temporal entre as saídas (primeiro) e as entradas (e respectiva adaptação) pode custar caro...

pascoal sousa disse...

Mais cedo do que tarde o Braga vai ter de aproveitar os miúdos. Os que têm valor, vontade, ambição, talento; os que podem transferir para a equipa sangue novo, ideias frescas, atitudes e abordagens mais irreverentes. Não digo que o futuro do Braga seja ser o Ajax cá do sítio. Mas tem de haver um equilíbrio entre a experiência e a juventude. Neste pressuposto, julgo que mesmo com conversa à mistura terá sido difícil a Aníbal verificar que o lugar que preencher foi ocupado por um médio, mesmo que seja o capitão, mesmo que tenha a experiência de vida de Vandinho. Aníbal que, curiosamente, tb termina contrato.

DC disse...

novo blog portugues sobre o manchester city

visite e comente

pode adicionar nas parcerias?

http://manchestercitynews.blogspot.com/

Anónimo disse...

Oi fascinante esta página está muito desenvolvido.........bom estilo:)
Amei Continua deste modo !!