terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Marco Ramos



Este rapaz de sorriso largo está quase, quase a ser reforço do Braga. Marco Ramos, um dos mais sólidos defesas esquerdos do Campeonato francês, foi com alguma surpresa relegado para a segunda equipa do Lens, depois de várias épocas a discutir a titularidade no emblema gaulês. Não sendo um fenómeno, Ramos destaca-se pela garra e atitude que coloca em campo e por uma grande coerência defensiva, talvez o que tem faltado ao SC Braga na asa esquerda. Será um excelente reforço.

Reparei ontem que ele nasceu em Abril de 1983, em Levallois-Perret, França, 67 quilómetros mais a norte da minha terra natal. O mesmo berço que eu, mas com 11 anos de diferença - sou de 1972, um ano porreiro que me libertou do serviço militar obrigatório. Marco Ramos é filho de emigrantes lá radicados. Os meus país viveram e trabalharam mais de duas décadas na França, mas decidiram voltar à pátria e refazer a vida neste cantinho da Europa.

Eu fui o primeiro a empreender a viagem à terrinha, aos 8 anos, dominando meia dúzia de palavras em português. Esperei cinco anos pela reunião familiar, cinco anos penosos para a pobre da minha falecida avó, sempre temente que o neto enveredasse por maus caminhos. Mas, nos anos 80, o que eu mais queria era não perder o episódio da abelha Maia e o único caminho da perdição era aquele que me levava até à porta do frigorífico, para me oferece um opíparo lanche tulicreme. Pergunto-me se o Marco Ramos, que é descendente de portugueses, mas é, culturalmente e socialmente, um produto francês, sentirá o mesmo choque que eu senti quando vim para cá viver.
Enviar um comentário