terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Marco Ramos



Este rapaz de sorriso largo está quase, quase a ser reforço do Braga. Marco Ramos, um dos mais sólidos defesas esquerdos do Campeonato francês, foi com alguma surpresa relegado para a segunda equipa do Lens, depois de várias épocas a discutir a titularidade no emblema gaulês. Não sendo um fenómeno, Ramos destaca-se pela garra e atitude que coloca em campo e por uma grande coerência defensiva, talvez o que tem faltado ao SC Braga na asa esquerda. Será um excelente reforço.

Reparei ontem que ele nasceu em Abril de 1983, em Levallois-Perret, França, 67 quilómetros mais a norte da minha terra natal. O mesmo berço que eu, mas com 11 anos de diferença - sou de 1972, um ano porreiro que me libertou do serviço militar obrigatório. Marco Ramos é filho de emigrantes lá radicados. Os meus país viveram e trabalharam mais de duas décadas na França, mas decidiram voltar à pátria e refazer a vida neste cantinho da Europa.

Eu fui o primeiro a empreender a viagem à terrinha, aos 8 anos, dominando meia dúzia de palavras em português. Esperei cinco anos pela reunião familiar, cinco anos penosos para a pobre da minha falecida avó, sempre temente que o neto enveredasse por maus caminhos. Mas, nos anos 80, o que eu mais queria era não perder o episódio da abelha Maia e o único caminho da perdição era aquele que me levava até à porta do frigorífico, para me oferece um opíparo lanche tulicreme. Pergunto-me se o Marco Ramos, que é descendente de portugueses, mas é, culturalmente e socialmente, um produto francês, sentirá o mesmo choque que eu senti quando vim para cá viver.

19 comentários:

Pedro Ribeiro disse...

Não tenho grandes expectativas relativamente a este jogador. Acho no entanto que é absolutamente necessário ter mais uma alternativa para as laterais porque, como se viu até agora, as que temos não são suficientes para darem conta do recado. No entanto, tenho dúvidas de que, estando ambos em condições físicas, Marco Ramos "roube" a titularidade a Elderson. Muitas críticas tem este recebido e, a meu ver, em grande medida injustas. Tem por vezes momentos de ingenuidade (que são usuais em jogadores africanos) mas nem sequer acho que, como dizem, ele seja tacticamente pouco evoluído, apesar de ter feito a sua formação como avançado. Tem o azar de jogar num flanco mais exposto por força do jogador que normalmente joga à sua frente (Paulo César), um avançado de formação, que tem por hábito (e missão!) aparecer no eixo do ataque no apoio ao ponta-de-lança... e, como não tem o dom da ubiquidade, por vezes deixa o flanco aberto. A equipa deve ter mecanismos de compensação que permitam manter-se equilibrada perante as diversas situações de jogo e é isso que tem faltado. O problema da equipa não é por isso (fundamentalmente) a composição da linha defensiva titular - sendo no entanto verdade que não há uma segunda linha credível e que sempre que há alguma ausência se cria alguma instabilidade.

Mas ainda em relação a laterais-esquerdos, se me perguntassem quem eu queria ver em Braga, não saberia responder. Tirando meia-dúzia (e não mais) de bons (mas inacessíveis) esquerdinos já em grandes equipas europeias (mas que não são muitos!), não sou capaz de avançar um nome acessível que fosse clara mais valia. Por isso, venha lá o Marco... e que se adapte depressa e bem!

F. disse...

Não há em Portugal quem, compre, bom e barato, como o Braga!
Abraços

pascoal sousa disse...

A posição de lateral-esquerdo é das mais difíceis de preencher num plantel profissional. E o de número 9 também, porque avançados há muitos e com várias valências, mas verdadeiros pontas-de-lanças é coisa que escasseia não só em Portugal como em toda a Europa. O que me parece em relação ao Elderson é que não podia ser «o» titular do Braga mas «o» candidato a titular. Dito de outra forma, teria que haver uma primeira alternativa forte para que o Elderson fizesse a sua adaptação tranquila a um futebol muito diferente daquele a que estava habituado. Os laterais em França, salvo algumas excepções, não têm o mesmo comportamento táctico que em Portugal.Têm de defender mais, são forçados, muitos vezes,a fazer movimentos de fora para dentro, porque na Ligue 1, ao contrário do que acontece por cá, muitas equipas sabem fazer ataque pelo meio, não estão reféns das alas para criar desequilíbrios. O caso do Marco Ramos reveste-se de algumas particularidades e seria exaustivo explicar o processo que levou à sua exclusão do plantel principal do Lens. Há a reter que entre azares no arranque desta época (começou a titular, depois cometeu uma grande penalidade disparatada frente ao Valencienne, na Taça da Liga, saiu da equipa e mais tarde lesionou-se para não mais entrar nas contas do treinador) houve motivos de ordem extra desportiva na base do seu afastamento do grupo. Como escrevi, não é um jogador fenomenal, mas cumpre muito bem a sua missão, é competente a defender, sobe com determinação. Há que dizer o seguinte: jogadores que são fenómenos não vão para o Braga. Alguns já nem para os três grandes querem ir. Interessa ao Braga ter jogadores que se apliquem, que tenham qualidade, obviamente, mas acima de tudo personalidade e carácter para lutar pela causa. Isso Marco Ramos tem. Elderson também, mas precisa de rectificar muita coisa defensivamente e isso leva tempo. Acho que eu e o Pedro já discutimos esse tema, lembrando, por exemplo, que o Evaldo, aos 23 anos, não era metade do jogador que é actualmente. Abraço

Pedro Ribeiro disse...

"Há que dizer o seguinte: jogadores que são fenómenos não vão para o Braga. Alguns já nem para os três grandes querem ir."


Quando digo que não saberia recomendar um defesa-esquerdo que fosse uma clara mais-valia, quis apenas dizer que o campo de escolha é muito limitado - e como vejo cada vez menos futebol, para mim, é difícil apontar um bom defesa-esquerdo que seja acessível a um clube como o Braga. E não estou a pensar em "fenómenos".

Por exemplo, para o mesmo posto, no flanco contrário, já sou capaz de encontrar alguns jogadores que seriam mais-valia, mesmo na nossa Liga. João Gonçalves, que se diz ter estado (ou ainda estar?) nas cogitações do Braga é um bom exemplo (como foi, na altura, Sílvio). Não me parece que, para o posto de lateral-esquerdo, existam muitos jogadores com este perfil - talvez o Emídio Rafael seja das poucas excepções (mas já vamos tarde, uma vez que já está vinculado ao Porto). Se pensarmos nas várias equipas da Liga, os laterais são muitas vezes adaptações ou são jogadores desequilibrados (ou "só sabem" defender ou só "sabem atacar"). E foi basicamente isto que quis dizer.

Mesmo no futebol internacional, não há tantos "fenómenos" assim. E já não há laterais-esquerdos de sonho como foram, a seu tempo, Brehme, Maldini ou Roberto Carlos. Claro que ainda se encontram excelentes laterais como o Evra no United, o Rat no Shakhtar, o Ashley Cole no Chelsea... não muitos mais. Repare-se que a própria selecção brasileira, com o campo de recrutamento que todos conhecemos, actuou no campeonato do mundo com um lateral improvisado, o Michel Bastos do Lyon!

pascoal sousa disse...

... O Gareth Bale, no Tottenham, e, há que se justo, o Coentrão, do Benfica. De resto, tem razão, laterais esquerdos de encher a vista, são poucos. Há que formá-los. Muitos clubes portugueses estão a ir por este caminho - e os mais pequenos, por incrível que pareça, estão mais adiantados no processo...

Conquistador disse...

Vistem e comentem:
http://conquistadorvsc.blogspot.com

Pedro Ribeiro disse...

Sim, o Coentrão também está no lote dos melhores, só por distracção não o referi. Quanto ao Bale, lembrei-me dele mas como habitualmente vem jogando numa posição mais adiantada... De qualquer forma, é um tremendo jogador!

The Blue Factory of Dreams disse...

O Porto sem gastar rios de dinheiros adquiriu 2 laterais esquerdos de rajada de grande qualidade.

Cissokho e Álvaro Pereira. E ainda tem Fucile, considerado por muitos o melhor do Mundial 2010, que nem é a sua posição natural.

http://thebluefactoryofdreams.blogspot.com/

Costa disse...

"Dentro" do que pode ser suportável, e que poderá ser um valor ainda melhor (para mim já é um bom valor), penso que o Nuno Pinto nos poderia trazer mais "alguma coisa" do que Marco Ramos... mais atrevimento, mais qualidade, as mesmas qualidades defensivas (muito trabalhadas por Manuel Machado no Nacional) e um atrevimento ofensivo com outra qualidade. Vejo nele um jogador um pouco à imagem de Sílvio, e, claro, para mim muito importante, conhecedor da realidade e campeonato portugueses. Assim, à primeira vista, juntamente com Emidio Rafael, seriam, para mim, claro está, as melhores opções. A Maykon falta-lhe meio campo (defesa), a Antunes crescer e lutar, e de brasileiros temos tido que contar... a ver vamos...

Pedro Ribeiro disse...

"O Porto sem gastar rios de dinheiros adquiriu 2 laterais esquerdos de rajada de grande qualidade.

Cissokho e Álvaro Pereira. E ainda tem Fucile, considerado por muitos o melhor do Mundial 2010, que nem é a sua posição natural."

4,5 milhões de euros por 80% do passe do Álvaro Pereira não é uma quantia menor - e no futebol português só está ao alcance de Porto e Benfica! Sem discutir que o Álvaro Pereira é de facto um bom jogador - ainda que não me pareça extraordinário.

O Cissohko... foi barato porque seguiu para o Porto, que tem contrapartidas para oferecer que outros clubes não têm (empréstimos de jogadores, por exemplo). De todo o modo, parece-me um jogador que foi algo sobre-avaliado. Mas é verdade que foi uma óptima jogada de antecipação. Mas basta pensar nas sucessivas aquisições falhadas pelo Porto antes de Cissohko (e pós- Nuno Valente) para se perceber a dificuldade de preencher esse lugar - cito de memória (e de certeza estarei a esquecer alguns) Marek Ceh, Leandro, Mareque, Addy.

Quanto ao Fucile, trata-se de uma adaptação. Isso também nós por cá temos. O Sílvio também é um lateral esquerdo competente (mas não tão forte quanto sobre a direita). Jogar com ele na esquerda significa abdicar de um grande lateral-direito.

A questão é que dificilmente se encontram laterais-esquerdos acessíveis e que dêem garantias. O facto de muitos laterais-esquerdos de primeiro plano resultarem de adaptações só reforça esta ideia.

pascoal sousa disse...

...O certo é que mesmo cometendo erros de casting, o Porto lá vai tendo bons laterais esquerdos. Claro que o melhor está no Benfica e ninguém pode esquecer que foi obra do Jesus - não do Benfica, que o contratou como extremo e que por pouco não desistiu dele, por causa da sua personalidade, vá lá,irreverente. Costa: não desgoto do Nuno Pinto, mas para o Braga parece-me curto. Assim como o Maykon, embora este dê outro tipo de garantias.

Pedro Ribeiro disse...

Gosto do Maykon... tecnicamente é muito evoluído, mas não sei até que ponto será fiável em termos defensivos, para uma equipa com alguma exigência como já é o Braga. De qualquer modo, pela sua polivalência (pode actuar mais adiantado) e em final de contrato, seria uma boa aquisição.

Quanto ao Nuno Pinto, francamente não estou em condições de emitir opinião. Lembro-me dele quando surgiu no Boavista e era de facto promissor, embora me parecesse fisicamente algo frágil. Depois, perdi-lhe o rasto. Tenho a ideia de que, com Manuel Machado, foi utilizado muitas vezes como médio ala mas nunca agarrou um lugar na equipa do Nacional...

pascoal sousa disse...

Com Manuel Machado o Nuno Pinto não era titular. Mas acabou por fazer vários jogos, por força da lesão do principal concorrente. Julgo que poderá ter argumentos consolidados dentro de dois anos.

Costa disse...

Por acaso a opinião de "curto" eu aplico-a um pouco a Maykon. Não em termos de valor individual, mas em relação às suas características. É sem dúvida um jogador incisivo, rápido, forte no arranque e no cruzamento, com uma entrega incrível em jogo. Agora, como já disse atrás, acho que lhe falta metade do campo. Em termos defensivos, acho-o muito vulnerável (tirando, talvez, o 1x1). Quanto ao Nuno Pinto, são opiniões, claro. Jogar no Trofense (e mesmo no NAcional) não é jogar no Braga, mas, de qualquer das formas, tenho-o como um valor certo, que carece apenas de continuidade e consequente visibilidade. Tem, para mim, grandes condições de singrar num clube como o meu, ainda por cima se tivermos em conta que vamos ter uma 2ª metade da época diferente em termos de "estilo" de jogo, aproveitando muito mais a envolvência dos laterais... e que dois laterais teríamos, se Silvio ficasse, e Nuno Pinto chegasse. Com um trinco e um meio-campo forte nas dobras...

andré disse...

Amigo Sousa, e com a entrada do Agostinho Oliveira para director técnico da formação como será a sua envolvência com o actual coordenador, Carlos Mangas? Será que vão encostar este a um canto?

Brigada da Relote disse...

Caro Pedro Ribeiro tenho 3 nomes de defesas esquerdos para o nosso Braga:

Björn Kopplin - Era juntamente com Sukuta-Pasu o melhor jogador alemão do último Mundial sub-20, não teve oportunidades no Bayern e está agora no Bochum da segunda divisão da Alemanha, apesar de ter qualidade para voos mais altos. Ainda jovem, com 21 anos e 1,84 é um jogador que pode igualmente jogar no meio campo com uma técnica e cultura bem alemã. O seu valor ronda os 500.000€.

Nikola Gulan - Aos 17 anos era considerado o maior talento da Sérvia, chegando mesmo actuar numa equipa de jovens da Europa juntamente com Bojan e Marko Marin, entre alguns outros talentos frente a uma equipa de África numa Meridian Cup. Foi contratado pela Fiorentina, mas nunca se conseguiu impor, estando agora de saída do clube Viola em Janeiro. Com 21 anos este médio de 183cm que foi adaptado a lateral nos últimos anos, poderá ser uma aposta acessível no mercado de Inverno. O seu valor ronda os 500.000€.

Diogo - Lateral esquerdo bastante ofensivo e titular na última selecção sub-20 do Brasil. Não actuou no São Paulo por estar tapado por Jorge Wagner, e nos últimos dois anos quase não jogou, inclusive por um litígio com o clube. Com 21 anos e 1,77, não seria uma aposta imediata para a equipa titular, mas poderá ser um alvo a custo zero. Se o clube não aceitar rescindir o seu valor ronda os 500.000€.

Brigada da Relote disse...

Já agora, em Portugal, não sei como se encontra Tiago Pinto, mas é um jovem que pode atingir o nivel desejado, apesar de ser muito difici o seu regresso a Braga num futuro próximo. Outro jogador que me tem surpreendido é o Hélder Cabral, apesar de o seu historial não o beneficiar muito, esta época tem-se portado bem com boas actuações na Académica.

pascoal sousa disse...

Boa Brigada. Bons nomes. Vou fazer uma pesquisa, desses só conheço mesmo o Diogo, do São Paulo. Mas é um alvo impossível. É verdade que entrou na justiça para rescindir o contrato que tinha até dezembro de 2012, mas perdeu a causa. Ontem renovou pelo São Paulo até 2015 e julgo que se tiver calminha e algum juízo jogará com mais regularidade. Abraço

pascoal sousa disse...

Caro André: com a entrada de Agostinho Oliveira, o Carlos Mangas continua como coordenador, mas agora terá de responder não ao presidente mas ao Agostinho. Tão simples quanto isso, é uma questão de hierarquia. Não acredito que o Carlos Manga seja encostado... Irá perder alguma influência ao nível de tomada de decisões, mas se olharmos a formação do Braga e o seu projecto global de crescimento tanto o Agostinho como o Mangas são peças de uma máquina que tem um motor principal - o António Salvador. Abraço