quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Agbossoumonde: preço da ingenuidade



Gale Agbossoumonde. Falei deste central norte-americano há tempos, quando chegou por empréstimo ao Braga. Acabou de somar a primeira internacionalização pela selecção principal dos Estados Unidos, ontem, num particular com a África do Sul. Mas não é sobre isso que vos quero falar. Por motivos que não conheço a fundo, Gale não ficou em Braga. Na verdade, não tem clube e treina-se diariamente no Estoril, clube detido pela empresa que o representa, a Traffic. É estranho? Claro que é.

Numa entrevista de fundo à ESPN, o defesa desvenda parte do mistério. A reportagem é longa mas vale a pena lê-la para compreendermos como são vulneráveis os talentos que emergem cedo na alta-roda. Na única vez que falei com ele pareceu-me um miúdo ingénuo, capaz de passar um cheque em branco a um estranho em troca de um sorriso. Faltou-lhe acompanhamento e aconselhamento. Pode invocar, como invocou, que foi enganado. Mas o engano foi dele. Não se deve assinar nada de cruz. No futebol, então, isso é particularmente verdade.
Enviar um comentário