segunda-feira, 25 de outubro de 2010

É mesmo incrível, Hulk

Quando chegou ao FC Porto, desfasado da realidade do futebol europeu, preso aos pequenos vícios que não perdeu no Japão, Hulk era uma bela fera a suplicar por uma matriz táctica que colocasse todo o seu imenso talento ao serviço do colectivo. Na altura, escrevi que o que era assustador em Hulk é que ele só mostrara 30 por cento do valia. Faltavam os 70 por cento. A percentagem inverteu-se. Hulk é 70 por cento de prazer, 70 por cento da força motriz do FC Porto, num todo 100 por cento eficaz, letal e inebriante. Do que vi em Istambul, e, agora, nos primeiros 18 minutos do jogo com o U. Leiria, concluo que Hulk saiu do túnel fortalecido, mais jogador, melhor jogador e, sobretudo, um jogador com muitas mais competências. É incrível, não é?
Enviar um comentário