segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Adeus, António Jesus

Hoje, partiu um homem excepcional. António Jesus também foi um futebolista excepcional, mas nada se comparava às suas qualidades humanas. Era amigo do futebol. Nosso amigo. Um ser humano bom, uma alma generosa. Dava gosto falar com ele, mesmo quando na maior parte das vezes o fazíamos por telefone. Por partir assim de repente, fica-nos no coração a dor de uma despedida inesperada. Foi cedo, ele que ainda tinha tanto para dar e ensinar. Mas foi, julgo eu, sem sofrimento. Como eu gostaria de me despedir um dia deste mundo. Adeus, António Jesus
Enviar um comentário