sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Salvo por um balde de lixo

Com esta história dos guarda-redes que chegam ou estão para chegar para o Sp. Braga mal tenho de tempo de actualizar o blogue. Está bem que os minhotos são uma escola de guarda-redes, mas não precisam exagerar. Adiante: regressei ontem de Glasgow, já noite dentro, e senti o choque térmico de forma implacável. Quando a mala apareceu no dia seguinte à minha chegada à Escócia, a primeira coisa que agarrei foi no casaco. Estavam temperaturas a rondar os 14 graus, com vento à mistura. Decididamente, os escoceses têm de beber muito no Verão, não por causa do calor, mas para aquecer.

Deixo-vos um vídeo da parte final do hino do Celtic, entoado em coro por cerca de 47 mil almas no Parkhead. O serviço no jornal até nem saiu mal, mas o envio foi um pesadelo. Na segunda parte do jogo, as linhas Wireless foram abaixo, a minha placa de Internet implodiu e o telemóvel deixou de receber chamadas, devido ao congestionamento da rede. Portugal, digo-vos eu, pode ser um país pobrezinho, mas ao nível das comunicações está melhor que a Escócia.

Conclusão: acabei por ter de sair do estádio. E dei por mim 25 metros à frente da entrada do Celtic Park, a meter o computador em cima da tampa de um balde de lixo, onde a rede era suficientemente forte para enviar o serviço. É uma imagem que me vai perseguir para o resto da vida. Isso e o brilhante apuramento do Sp. Braga para o 'play-off' da Champions...

Enviar um comentário