domingo, 29 de agosto de 2010

O destino é lixado



Está é realmente a imagem da noite: o Roberto a defender uma grande penalidade. Mal marcada, diga-se, mas o espanhol teve o mérito de se atirar para o lado certo. E agora? Descontando a forma como Maxi deu cabo da estreia de Júlio César, dando de barato que o V. Setúbal não jogou patavina e nem um cruzamento fez para a área do Benfica (é nas saídas da baliza que o Roberto faz tremer a Luz), sou tentado a concluir que desta vez tanto os adeptos do Benfica como dos rivais estão satisfeitos. Uns pela esperança de ver Roberto libertar-se dos seus fantasmas e assumir a condição de portero principal; os outros pela esperança de continuar a ver Roberto a «enterrar». A ver vamos se o espanhol mudou da noite para o dia. De qualquer modo, e a jogar com menos um durante 68 minutos, o Benfica esteve mais próximo da normalidade, com Gaitan e Aimar em grande.
Enviar um comentário