quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Já faltou mais



Ganhar por 1-0 não é um resultado conclusivo, mas é um bom resultado para o Sp. Braga. Antes de mais: ganhar ao Sevilha é, por si só, uma proeza que deve ser valorizada. E muito. O Sevilha não é uma equipa qualquer. Individualmente tem unidades de primeiro plano e como colectivo costuma funcionar muito bem. No Axa, só funcionou na primeira parte e aí o Sp. Braga tremeu um pouco, mas valeu-se da sua consistência defensiva para evitar o pior.

Na segunda metade emergiu a verdadeira garra e qualidade do Sp. Braga. Sílvio deu outra dinâmica ao flanco direito (bendito amarelo a Miguel Garcia...), a equipa acertou as marcações, saiu melhor para o ataque planeado e para o contra-ataque e beneficiou da sua melhor condição física para ir para cima dos espanhóis. Da estatística da UEFA, destaco um detalhe: o Sp. Braga fez 13 remates, apenas mais um que o Sevilha. Mas acertou mais vezes na baliza - 8 - do que o conjunto andaluz -3. É um dado a reter porque, normalmente, o grande problema das equipas portuguesas nas competições europeias é ter um elevado índices de remates fora do alvo. Como dizia um conhecido treinador, perigosas são as bolas que vão à baliza; as outras, que vão parar ao campo do vizinho ou quase tiram tinta ao poste, por muito que agitem o estádio nunca darão golo.
Enviar um comentário