quinta-feira, 6 de maio de 2010

Planos furados



Há o furo jornalístico, compreensivelmente do meu gosto, o furo artesiano, para quem aprecia meter água, e o furo pneumático, que nos surpreende nas piores horas. O da imagem atrasou-me a vida à saída do jornal, quando organizava mentalmente a minha agenda nocturna: jantar-apresentação do livro do Germano Almeida (o da Bola...)- adormecimento compulsivo do bebé - adormecimento sem esforço do chavalo mais velho - e finalmente uns minutos na «net» para actualização do blogue. Em vez disso, acordei cedo pela manhã para mudar a porcaria do pneu. Que trabalheira que aquilo dá. Ainda por cima, estes carros modernos facultam aqueles ridículos pneus de bicleta que só dão para queimar 80 quilómetros de asfalto.

Vá lá. Tinha um pneu Pirrelli em casa, como novo, cujo modelo julgava estar descontinuado, e encontrei um par a preço de amigo: 84 euros. Foi a conta que Deus fez. Quanto ao furo jornalístico, ainda não deve ser para hoje...
Enviar um comentário