quarta-feira, 28 de abril de 2010

Zâmbia: 17 anos depois do choque



Há 17 anos , o futebol zambiano viveu a maior tragédia da sua história. Um Havilland Canada DHC-5 Buffalo que transportava a selecção principal da Zâmbia para disputar um jogo de qualificação para o Mundial de 1994, no Senegal, caiu a pique nas águas profundas do Atlântico, junto à costa do Gabão. Todos os 30 ocupantes do aparelho morreram no acidente, entre eles 18 dos mais talentosos jogadores da nação. Ainda hoje não se sabe exactamente os contornos da queda do avião da Zâmbia Air Force. Um primeiro relatório do Governo, de 2003, apontava três causas: uma falha num dos motores do avião, um aviso electrónico avariado no painel de instrumentos e o cansaço do piloto. Pacífica é a tese de que o piloto desligou o motor errado, fazendo com que o DHC-5 caísse desamparado no mar. Hoje, muitos zambianos, em especial os familiares dos jogadores falecidos, continuam convencidos de que o avião não reunia condições de segurança para levantar voo e que o Governo, ao omitir esse facto no relatório, mais não fez do que fugir às suas responsabilidades. Aconteceu a 27 de Abril de 1993. Eis a lista dos jogadores e técnicos vítimas do acidente no Gabão:

John Soko (defesa) Whiteson Changwe (defesa) Robert Watiyakeni (defesa) Eston Mulenga (médio) Derby Makinka (médio) Moses Chikwalakwala (médio) Wisdom Mumba Chansa (médio) Kelvin "Malaza" Mutale (avançado) Timothy Mwitwa (avançado) Numba Mwila (médio) Richard Mwanza (guarda-redes) Samuel Chomba (defesa), Moses Masuwa(avançado) Kenan Simambe (defesa) Godfrey Kangwa (médio) Winter Mumba (defesa) Patrick "Bomber" Banda (avançado) Os treinadores Godfrey Chitalu e Alex Chola

Se quiserem podem ler aqui um resumo do acidente e de como o futebol zambiano recuperou parcialmente do choque.
Enviar um comentário