domingo, 21 de março de 2010

Ayrton Senna



Se estivesse vivo, faria hoje 50 anos. Prost falou sobre ele à imprensa brasileira. Senna era realmente um piloto de excepcional talento, um Deus da F1. Estava no quarto da casa dos meus pais quando assisti, horrorizado, ao terrível acidente que lhe roubou a vida e esvaziou o meu interesse pelos bólides. A partir desse dia, a F1 passou a ser observada ao longe, sem adrenalina à mistura e sem esperança de voltar a ver na minha vida um corredor como o brasileiro. Inigualável.
Enviar um comentário