domingo, 21 de fevereiro de 2010

Muito Porto, pouquíssimo Braga



Lendo friamente as incidências da goleada por 5-1 aplicada pelo FC Porto ao Sp. Braga, chego a duas conclusões: a) os dragões justificaram o resultado gordo por via de uma bela exibição colectiva, na qual sobressaíram Varela e Falcao (é um grande jogador!). Ruben Micael deu o toque de classe que faltava ao meio-campo portista e Raul Meireles marcou um golo retemperador depois de um penoso processo de recuperação a um problema físico; b) Aquele Sp. Braga que subiu ao relvado do Dragão não foi o mesmo das últimas 19 jornadas. As mudanças introduzidas por Domingos resultaram num somatório de erros incríveis, a começar pela defesa, onde Moisés não pode de forma alguma jogar no lado esquerdo do eixo, muito menos quando tem ao lado um jogador sem rotinas como Paulão. Por outro lado, a jogar em 4x4x2, a alma arsenalista esvaziou-se e tornou o colectivo amorfo, sem ideias, sem garra e sobretudo sem identidade.

Se ainda acho que o Sp. Braga pode ser campeão? Acho. Mas os 5-1 que resultam na perda de três pontos podem ter efeitos psicológicos imprevisíveis. O calendário bracarense não é mau de todo, mas cuidado: equipas como o Olhanenses e o V. Setúbal desesperam por pontos e o Rio Ave é equipa para complicar muito a vida ao Sp. Braga no Axa. Sofrer cinco golos num só jogo é penoso para uma equipa que no conjunto das 19 jornadas tinha consentido apenas oito. Mas não me parece um sinal de que o céu caiu em cima da equipa de Domingos. Aliás, nunca cairá: mesmo acabando em terceiro, a campanha minhota será sempre histórica. Ainda que saiba a pouco aos seus apaixonados adeptos.
Enviar um comentário