quarta-feira, 18 de novembro de 2009

A Suíça multicultural

Depois de a Suíça se ter sagrado campeã do Mundo em futebol, na categoria de sub-17 anos, há uma preocupação crescente na nação dos chocolates e dos relógios de marca sobre o assédio a que 13 dos 21 campeões poderão estar sujeitos no futuro por parte de outros países. São 13 jogadores com dupla nacionalidade que poderão um dia optar pela selecção do país dos progenitores, entre os quais está um português, André Gonçalves (na foto), lateral-direito do FC Zurique, ex-juvenil do FC Glarus - onde está o seu irmão, o guarda-redes Miguel Gonçalves.

No fundo, a selecção de sub-17 da Suíça mostra ao Mundo o mosaico de nacionalidades de um país multicultural que é destino privilegiado para emigrantes de todas as latitudes. Dois jogadores que faziam parte do quadro de seleccionáveis para o Mundial da categoria - Zdravko Kuzmanovic (Sérvia) e Ivan Rakitic (Croácia) - optaram por representar as selecções de origem, mas a maior parte dos binacionais garante que se manterá fiel à cruz suíça. O tempo o dirá.

Entretanto, há que sublinhar que a proeza alcançada pelos helvéticos não aconteceu por acaso. Foi fruto de um trabalho de base criterioso e bem desenvolvido que teve o seu epicentro em três centros de formação da Associação Suíça de Futebol, em Tenero, Emmen e Payerne. Seis jogadores que formam o núcleo duro do onze foram lá formados, entre os quais o nosso «representante», André Gonçalves. Esses centros, destinados a futebolistas entre os 14 e 16 anos, conciliam a escola com os treinos e têm três princípios básicos: a marcação por zona, o jogo ofensivo e futebol dinâmico (fonte: Swissinfo)

A lista dos 13 jogadores binacionais da Suíça campeã mundial de sub-17 é a seguinte:

Joel Kiassumbua, Congo
Kofi Nimeley, Gana
Nassim Ben Khalifa, Tunísia
Maik Nakic, Croácia
Haris Seferovic, Bósnia-Herzegovina
Igor Mijatovic, Sérvia
Fréderic Veseli, Kosovo
André Gonçalves, Portugal
Granit Xhaka, Albânia
Pajtim Kasami, Albânia
Sead Hajrovic, Bósnia-Herzegowina
Robin Vecchi, Itália
Ricardo Rodriguez, Chile

Enviar um comentário