terça-feira, 27 de outubro de 2009

Lobotomias



Os especialistas em actividade cerebral encorajam essa ideia: toda a gente pode e deve estimular o lado direito do cérebro, "o hemisfério silencioso e telepático onde intuição, criatividade, artes, síntese, essência, descoberta de novas cores e raios, uso e abuso de imagens e símbolos em vez de palavras compõem todo o leque de manifestação".* Parece-me uma sugestão demasiado optimista. Ainda recentemente me cruzei com pessoas que, secretamente (ou não tão secretamente assim) se lamentam por não poder gostar de determinados programas de humor, de determinados políticos, de determinados comentadores, a quem, enfim, foi obliterada a liberdade de pensamento. Sentem-se mais oprimidos que o mais oprimido cidadão da Coreia do Norte. Dantes pensavam - hoje, deixam que pensem por eles. Ontem riam e sorriam- agora destilam ódios ensaiados e também riem, mas só quando lhes mandam. Aparentemente felizes, é quando entram em casa, e já tarde são envolvidos pelo silêncio da noite. que percebem que o ficou para trás já não volta e que os espera é nunca poder estimular o lado direito de cérebro. Nem o esquerdo.

*Iniciação Inka, Marisa Varela
Enviar um comentário