sábado, 26 de setembro de 2009

Custou-me



Ninguém pode ficar insensível ao caso de (alegado) doping dos dois jovens ciclistas do ADR Ases de Penafiel. Na urina de Daniel Freitas (18 anos) e João Pinto (16 anos) terão sido presumivelmente detectados vestígios de morfina. Independentemente da substância, doping é doping. É batota. É crime e um crime contra a saúde. Não sei de quem é a culpa, mas espero que a Federação Portugesa de Ciclismo apure rapidamente responsabilidades e castigue exemplarmente os prevaricadores. Há quanto tempo dura esta farsa? Desde quando há controlos rigorosos nos escalões de formação do ciclismo? Que exemplo se está a dar às gerações futuras? Acima de todas questões, esta: como foi possível chegar a este ponto?

Custou-me muito a atacar o 'qwerty' quando cheguei à redacção, depois de três horas em Penafiel. Coisas de pai preocupado.
Enviar um comentário