quarta-feira, 27 de maio de 2009

Quero 10 milhões



Enquanto António Salvador faz de conta que Jorge Jesus não vai para o Benfica, e o Benfica, por seu turno, alimenta a expectativa optimista de que Quique Flores vai abdicar de 3,5 milhões de euros a que tem direito caso seja despedido, é tempo de fazer um balanço. No Minho, a ordem é vender para equilibrar as contas. Luís Aguiar e Orlando Sá devem render 5 milhões de euros, mas é necessário transferir mais um ou dois jogadores para se chegar aos 10 milhões. É quanto o Sp. Braga precisa para não comprometer o futuro. Curiosamente, o Nacional fez as mesmas contas e espera arrecadar os mesmos 10 milhões na venda dos direitos desportivos de algumas das suas jóias.

É a crise, amigos. E não só. É também a confirmação de que esta época a estrutura profissional do Sp. Braga colocou à disposição de Jorge Jesus o melhor e mais caro plantel da história do emblema minhoto. Daí o desabafo do presidente quando admitiu que o «5.º lugar na Liga ficou aquém do objectivo e do investimento feito.» O balanço do exercício de 2008/2009 irá também confirmar ou desmentir outra teoria, segundo a qual o orçamento para o futebol mais que duplicou. Por norma, o Sp. Braga gasta 6 milhões de euros no futebol. Mas neste caso poderemos estar perante uma manobra financeira inteligente: Salvador investiu em bons activos para os vender a melhor preço. Luís Aguiar custou 600 mil euros (50 por cento do passe) e é vendido ao Dínamo Moscovo por 2,5 milhões.
Enviar um comentário