domingo, 8 de março de 2009

Porto de Leixões



Quando uma equipa perde em casa por 1-4 está tudo dito. O Leixões cometeu muitos erros, a começar pela falta escusadíssima de Hugo Morais que dá origem à grande penalidade convertida por Lucho, até ao harakiri de Laranjeiro, que com Hulk por perto fez um atraso disparatado para Beto. Mas os lapsos dos homens do Mar não explicam o essencial do que aconteceu ontem no Estádio do Mar: o FC Porto foi muito melhor como colectivo. Estratégia de Jesualdo bem delineada, aposta certa em Mariano, permitindo que Lisandro descansasse para a Champions, numa noite em Farías revelou imensa dinâmica no ataque - assistência para Raul Meireles marcar e um golo, por sinal muito facilitado pela defesa leixonense.

O FC Porto funcionou como um todo harmonioso e unido - à excepção de Helton, que meteu água. Tomás Costa tapou bem o buraco no lado direito da defesa, ele que na equipa já ocupou quatro posições diferentes, sem comprometer. É um polivalente com grande espírito de combate, que deixa qualquer treinador descansado.
Enviar um comentário