sábado, 7 de março de 2009

Greve? Mas como?!


Com o patrocínio do Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), os futebolistas do Atlético de Valdevez ameaçaram não comparecer ao jogo de domingo, com o Desp. Chaves, se até sexta-feira (ontem, portanto) a Direcção do clube não liquidasse dois dos quatro meses de salários em atraso. Findo o prazo, dinheiro nem vê-lo. E à hora em que escrevo estas linhas, já não são quatro meses em atraso mas sim cinco.

Questão central: vai haver greve? Resposta: não. Foi apenas (mais) uma (pré)-ameaça. Um recuo que descredibiliza e fragiliza a posição dos jogadores e, em última instância, do próprio SJPF. Dito isto, fazer um apelo a uma paralização geral no futebol português, como sugeriu o plantel do Estrela da Amadora em comunicado, quando nem os próprios futebolistas afectados pela praga dos salários em atraso tomam uma posição nesse sentido, parece-me no mínimo um paradoxo.
Enviar um comentário