segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Plano Salvador?



António Salvador, presidente do Sporting de Braga, foi hoje à Liga propor a Hermínio Loureiro que os jogos com os três grandes sejam dirigidos por árbitros estrangeiros. E sustentou a ideia com dois argumentos: a) é sempre nos desafios com um/ou mais grandes que há polémica; b)os árbitros portugueses não têm «bagagem» mental para aguentar a pressão e serem isentos na casa dos grandes.

Naturalmente que neste pântano que é o futebol profissional em Portugal, a proposta está condenada ao fracasso. Mas - e é com pena que o digo - faz todo o sentido. Não que os árbitros estrangeiros não errem, porque erram. São humanos. Quanto à isenção, não existe em lado nenhum e basta recuperar alguns jogos das competições europeias em que os grandes clubes portugueses defrontaram colossos europeus, para se perceber que na UEFA gravitam interesses obscuros.

A razão é esta: falta de qualidade. Imagino que o quadro de árbitros do Burkina Faso seja melhor que o nosso. Se não for, há problemas no Burkina. Se calhar vem aí uma geração melhor, que irá dar credibilidade à arbitragem lusa. Enquanto se espera por esse dia (não levem a mal, mas tomei a decisão de esperar sentado) é impossível discordar do que disse (só a posteriori) Jorge Jesus sobre Paulo Baptista: «Ele não sabe mais.»

PS: Ups! Quebrei a promessa... falei de arbitragens. Mereço um Red Card...

Enviar um comentário