terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Agora não me dá jeito...



Era suposto Vítor Pereira estar esta noite em Braga, para um colóquio organizado pelo Correio do Minho e Antena Minho subordinado ao tema "A profissionalização na arbitragem nacional". Isso 15 dias depois de Paulo Baptista ter acertado em 95 por cento das decisões que tomou no Benfica-Sp. Braga (1-0), na Luz, e 72 horas depois de Paulo Costa, no Sp. Braga-FC Porto (0-2) ter colocado a arbitragem portuguesa no top 10 mundial - muito à frente das Ilhas Fiji . Mandou dizer que não ia ao debate. Tenho aqui o conteúdo do e-mail, assinado pela Comissão de Arbitragem: «(...) Dado o momento conturbado por que passa o futebol, não se julga apropriada a presença do presidente da Comissão de Arbitragem no colóquio (...).

Momento conturbado no futebol? Tomem lá! Para quem diz que Vítor Pereira não vive neste mundo, mas num país-de-faz-de-conta-que-somos-os-melhores-do-planeta, essa missiva é reveladora da lucidez e sagacidade do presidente da CA da Liga. Mesmo assim, se fosse eu a escrever o e-mail, começava assim: «Tendo tomado conhecimento de que um grupo de revivalistas preparava a organização de um auto-de-fé, à mesma hora e no mesmo local do colóquio, não se julga apropriada a presença do presidente da Comissão de Arbitragem no debate.» Todos sabem que o Sp. Braga tem os adeptos mais civilizados do futebol português. Mas quando no passado sábado gritaram «Basta!» e mostraram cartão vermelho à arbitragem, estavam mesmo a falar a sério e a avisar que a paciência tem limites.
Enviar um comentário