segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Já repararam?



Já repararam...
... Que há um banqueiro detido por fraude e crimes financeiros? E outro com sonhos de escrever um best seller que caiu na mais amarga das desgraças mediáticas? E ainda banqueiros de uma grande e respeitável instituição sob investigação?

Já repararam...
Que há deputados (insígnes representantes do eleitorado português ) a faltar a votações importantes?

Já repararam...
... Que o País está mergulhado na pior crise de confiança da última década?

Já repararam...
...Que há patetas alegres a preparar o caminho para as próximas presidenciais, vendendo ilusões e palavras ocas que à falta de melhor assunto televisões e rádios amplificam até à náusea?

Já repararam...
... Que no meio disto tudo, o futebol, com os seus muitos defeitos, ainda é das poucas coisas que nos faz esquecer que vivemos asfixiados neste lixo?

Um caso para Maria José Morgado investigar: é preciso voltar a colocar o futebol no topo do edifício da podridão social e da decadência do ser humano. Urgentemente. Está provado (e se calhar comprovado através de filmagens e escutas telefónicas) que os recentes escândalos fazem parte de uma elaborada e complexa teia de interesses, urdida pelas figuras sinistras do futebol indígena, com o objectivo de distrair a populaça para os esquemas subterrâneos que a Justiça portuguesa, com labor, método e investigações exaustivas, se encarregará em breve de levar às barras dos Tribunais e castigar exemplarmente. Nesse dia, a sociedade compreenderá que não pode confiar no futebol. Só nos bancos. E nos deputados. E em candidatos vazios de ideias. Nesse dia, Portugal será um País mais feliz.

Enviar um comentário