quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Foi mesmo incrível


Foto: AP/Yahoo.com

Os seis
golos da Reboleira. Vale a pena revê-los. Especialmente o golo de Hulk, pela execução sublime do brasileiro, que a cada jogo vai subindo patamares de forma, de exigência e de excelência. O que é assustador - na perspectiva dos adversários do FC Porto - é que Hulk ainda só mostrou 20/30 por cento do que pode vir a fazer. No Japão jogava sozinho, nos dragões assimila uma filosofia completamente diferente mas já deu para perceber que o campeão nacional vai passar a viver muito da energia alcalina do brasileiro.

No resto, vitória normal do FC Porto, num jogo (novamente) com uma arbitragem fraquinha e sem nível, e com os jogadores do Estrela da Amadora a revelaram grande dignidade numa altura particularmente difícil das suas carreiras. Deu para tudo. Até para Helton sofrer um daqueles golos que ficam bem num compacto de fim de ano dos lances mais estranhos do futebol...

PS: Uma vez, há muitos anos, quando fazia a cobertura noticiosa do Leça, um colega do jornal, com responsabilidades editoriais, assinou uma peça minha com as iniciais I.H. Que significava Incrível Hulk. Dizia ele que a fúria que eu deixava transparecer nas horas de maior stress lhe fazia lembrar aquela personagem. Cada vez que vejo o camisola 12 do FC Porto a jogar, lembro-me desse episódio. E não consigo parar de rir. Nada contra ti, ok, Hulk?
Enviar um comentário