domingo, 7 de dezembro de 2008

Demolidor



O futebol tem destas graças: numa jornada em que muita gente antecipava nova descida dos encarnados ao inferno, o Benfica construiu a maior goleada dos últimos 34 anos (golos de Reyes e Luisão, bis de Suazo e Nuno Gomes). Os 6-0 dos Barreiros representam também a maior derrota de sempre do Marítimo em casa. Antes de encarar o conjunto de Quique Flores, a equipa de Lori Sandri tinha a melhor defesa do Campeonato. Ao cabo de 90 minutos, é só a oitava melhor.

A expulsão de Marcos explica parte do descalabro. Mas não explica tudo. Da forma como o Benfica abordou o jogo, dificilmente o iria perder, mesmo a jogar contra 11. Mas Marcos é daqueles guarda-redes que numa partida fazem duas/três intervenções impossíveis. Aliás, estou tão habituado a vê-lo como número 1 do Marítimo que quase duvidei que houvesse suplente no banco. Mas havia, claro: um tal de Grassi, cuja estreia foi uma desGrassi. Não por culpa própria...
Enviar um comentário