quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Braga procura nova proeza



Foi numa atmosfera de alguma crispação que o Sp. Braga partiu para a Holanda, onde amanhã joga o seu futuro na Taça UEFA. Os alegados desentendimentos entre César Peixoto e Jesus foram inexoravelmente desmentidos pelo treinador e presidente. Mas esses rumores de bastidores causam sempre instabilidade num grupo, sobretudo nas vésperas de um acontecimento importante em que os minhotos têm a possibilidade de repetir a proeza alcançada nas duas épocas anteriores.

Com Jorge Costa e Manuel Machado, o Sp. Braga atingiu na temporada passada os 16-avos-de-final. Só caiu, com o professor no leme, frente ao Werder Bremen (derrotas por 3-0 e 0-1), numa eliminatória em que os arsenalistas falharam dois penalties na Alemanha. Mas o balanço foi bom.

Melhor, só duas épocas antes. Carlos Carvalhal apurou pela primeira o Sp. Braga para uma fase de grupos. Depois, Rogério Gonçalves qualificou a equipa para os 16-avos-de-final e antes de ser despedido ganhou na primeira-mão o Parma, por 1-0. Jorge Costa completou a obra, venceu em Itália por 1-0 (golo de Diego) e nos oitavos não resistiu à força tremenda no Tottenham (duplo desaire por 3-2).

Foram esses feitos que cimentaram o estatuto do Sp. Braga como quarto grande português. E quando a Taça de Portugal e Taça da Liga já foram à vida, a UEFA ganha redobrada importância. Jesus deve saber que é assim.
Enviar um comentário