quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Brasil-Portugal (um sonolento intervalo)



A alma quer mas o corpo diz que não. Escrevo no intervalo do Brasil, 2-Portugal, 1 na certeza de que não vou ver toda a segunda parte. Mas vi a primeira. Louve-se a coragem de Queirós: jogar com 10 contra o Brasil não é para todos. Sim, porque Paulo Ferreira está «lá» mas não está propriamente a jogar. Cinco minutos «à Brasil» da equipa das Quinas, grande jogada de Deco para finalização «à Kaká» de Danny na área, e lá soaram os acordes do nosso fado com dois golos do Fabuloso, que no Porto era um Desgraçado.

Nada de confusões: o jogo está a ser bom. Particularmente bom. Intenso, interessante, vibrante e quase não se nota o carácter «amigável» da partida no Bezerrão. Contem-me como foi a segunda parte. Não vou dormir já, mas vou adormecer de certeza.
Enviar um comentário