quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Soltas...



Lembro-me de escrever uma página a propósito do jogo 150 de Quim no Campeonato. Na altura, estava no Sp. Braga. Passaram outros 150 jogos (é agora, frente ao V. Guimarães) e Quim é titular do Benfica, agarrou a baliza da Selecção Nacional e parece feliz. Foi tudo rápido? Por acaso até foi um processo lento e, não raras vezes, doloroso, porque jogar no Benfica não é fácil e ter Ricardo na sombra muito menos...



Hugo Leal chega ao Trofense com a intenção de «relançar a carreira». Precisamente o desejo que manifestou quando chegou a Braga, envolvido por uma aura de craque. As lesões e a consequente irregularidade exibicional atiraram-no para um patamar mais terreno e daí até à rescisão foi um passo pequeno. Lembro-me de falar com ele depois do episódio disciplinar com Rogério Gonçalves que determinou a sua saída dos bracarenses: teve dignidade na despedida, reconhecendo que errou e que o treinador tinha razão. Voltou a ser acossado por lesões e pouco jogou no Belenenses. Será diferente na Trofa? Acredito que sim, até porque não há margem para mais erros e azares. Para Hugo Leal, é agora ou nunca mais.
Enviar um comentário