quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Bragão!



Empate excelente do Benfica em Berlim, frente ao Herta, na noite em que o Sp. Braga foi gigante e esmagou por 3-0 o Portsmouth. Sétimo triunfo consecutivo dos bracarenses nas competições europeias - e até ao momento a equipa de Jesus não sofreu qualquer golo, o que é uma proeza notável. Notável, também, foi a estratégia montada para surpreender os ingleses: Jesus colocou Frechaut, uma unidade mais alta do que João Pereira, no lado direito da defesa e com isso conseguiu atenuar os estragos que previsivelmente os ingleses iriam causar por aquele corredor.

Não foi um jogo fácil, mas a vitória, clara e inequívoca, lança o Sp. Braga para a liderança do seu grupo E. Por outro lado, foi um castigo para Harry Redknapp, que no final do jogo não disfarçou a azia. A verdade é que Redknapp não foi lá muito competente a estudar o adversário: não tinha visto nenhum jogo, tinha uma ideia geral do Sp. Braga, mas no fundo não duvidava que o Portsmouth teria argumentos mais fortes que os portugueses e que venceria no AXA.

Jesus, pelo contrário, conhecia os ingleses de trás para a frente e na diagonal, tirou-lhes a radiografia através de visionamentos de DVD e dos relatórios dos competentíssimos Miguel Quaresma e Marco Pedroso, técnico-analista e vídeo-analista, respectivamente. Fez o trabalho de casa e avisou os jogadores para o perigo Crouch. Ganhou em toda a linha, porque como sempre preocupou-se em ir ao pormenor, ao detalhe. Hoje em dia, pequenas coisas resultam em grandes vitórias.

Enviar um comentário