segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Trivela dos milhões



Algumas notas sobre a transferência de Quaresma para o Inter:

1) Prevaleceu o desejo de Quaresma, que há três meses anunciara intenção de dar o salto para o futebol italiano

2) O FC Porto queria 40 milhões (Pinto da Costa fazia um desconto de um euro) mas teve de aceitar 24, 6 milhões, incluindo nesse montante Pelé, cujo passe está avaliado em 6 milhões

3) Não foi um negócio magnífico, mas também não foi um mau negócio. Quaresma ameaçava transformar-se num corpo estranho no FC Porto. A SAD puxou até ao limite pelo Inter sabendo que tinha no balneário um jogador contrariado e sem o mais pequeno estímulo para continuar em Portugal. Hoje em dia os jogadores, sobretudo os que têm muito mercado, possuem um peso negocial maior do que se julga.

4) Pelé é um belíssimo reforço. Pode não ser solução imediata para ocupar a vaga de Paulo Assunção (é mais lento que o brasileiro) mas bem trabalhado irá seguramente chegar lá. Pelé que, recorde-se, esteve no Benfica mas não foi aproveitado - o que é frequente na Luz.

2 comentários:

dragao vila pouca disse...

Não foi por 40 milhões diz você.
Eu que já fiz um post sobre o assunto,não concordo e explico porquê, dando como exemplo a transferência do Deco para o Barcelona.
Vejamos o Deco foi para a Catalunha por 15 m/euros, mais o Quaresma avaliado em 6m/euros, certo?
Quaresma sai por 18,6 mais o Pelé avaliado em 6 e poderá, atingidos alguns objectivos - 4 m/euros são praticamente certos - atingir os 6.
Sendo assim o Deco rendeu: 15+18,6+ 4 e excluo a valorização do Pelé que acredito, no futuro vai sair por mais que 6, e os 2 de objectivos mais díficeis de concretizar.Tudo somado dá37,6 m/euros.
Com Quaresma não pode acontecer a mesma coisa?
Se aos 18,6 se juntarem mais 6 de objectivos, dá 24,6. E se no futuro o Pelé for transferido por 15 m/euros? Não dá 39,6?
Calma com as análises precipitadas.
Vou colocar o seu link no meu blog, retribuindo assim a sua gentileza para com o meu.

pascoal sousa disse...

É verdade, ou pelo menos pode vir a ser verdade, os números que apresenta. Mas são conjecturas, algumas das quais poderão confirmar-se. O post refere-se aos factos presentes, conhecidos pelo público e comunicados pelo FC Porto à CMVM. Reforço a ideia: não foi um mau negócio, foi o negócio possível com uma vitória dos dragões, para além do dinheiro envolvido: a cedência definitiva de Pelé, quando inicialmente o Inter só o queria emprestar por uma época. Pelé poderá valer muito dinheiro no futuro, até porque está no clube ideal para se valorizar.

Abraços