quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Braga com muita arte



Há que começar pelo melhor da noite: a expressiva vitória do Sp. Braga sobre o Artmedia, por 4-0, com um hat-trick de Meyong. Tudo fácil para os do Minho, o que não constitui surpresa na medida em que este Artmedia não tem nada a ver com aquele que plantou a surpresa há uns tempos no Dragão, ao vencer o FC Porto. Mesmo assim, o Sp. Braga não caiu na armadilha de deixar correr o jogo ao sabor dessas supostas facilidades e goleou, assegurando, salvo grande terramoto no segundo jogo, a presença na fase de grupos da Taça UEFA pelo terceiro ano consecutivo. Num plantel recheado de bons jogadores, deu para poupar alguns efectivos para o jogo com o Leixões, casos de Luís Aguiar, Linz, Frechaut, que entraram no decorrer do segundo tempo.

Agora, o Benfica. Já li por aí que perder 3-2 em Nápoles não foi mau resultado. Não concordo. Perder é sempre um mau resultado, mais ainda tendo em conta o investimento à "Champions" que os encarnados fizeram e que devia, numa prova secundária da UEFA, traduzir-se em triunfos e não em derrotas tangenciais que (apenas) abrem boas expectativas para o jogo na Luz. Mas, enfim, se calhar sou eu a delirar.

Com as restantes equipas, não houve milagres. O V. Guimarães tinha a tarefa mais complicada e perdeu 2-0 com o Portmouth, resultado que muito dificilmente será anulado no castelo. O Marítimo foi derrotado pela margem mínima por um Valência que derrete milhões na Taça UEFA e o V. Setúbal lá conquistou um pontinho para o cada vez mais enfraquecido ranking português - mas morreu ingloriamente com a praia à vista ao deixar o Heerenveen empatar no minuto 90.
Enviar um comentário