segunda-feira, 11 de agosto de 2008

A primeira vez




Pela primeira em 13 anos de carreira cheguei atrasado a um jogo de futebol...

Pela primeira vez recebi uma credencial para o jogo quando este já tinha começado...

Pela primeira vez senti o vazio de percorrer sozinho os corredores de um estádio cheio...

Pela primeira vez senti falta do calor e da amizade de uma grande equipa de reportagem. A quantidade é importante quando vem acompanhada de muita qualidade...

Pela primeira vez saí de uma reportagem com a sensação de que algo ficou por dizer ou fazer...

Pela primeira vez entrei num estádio com uma credencial de rádio, quando trabalho na imprensa...

Há uma primeira vez para tudo. Ganhou o FC Porto à Lázio, por 2-1. Entrei aos 12 minutos. Ainda vi o golo de Bruno Alves, um grande momento de futebol. Nem sempre as instituições coincidem nas opiniões. É normal e não há que fazer disso um drama. Em minha casa só entra quem eu quero, à hora que quero. Por que haveria de ser diferente na casa dos outros?
Uma coisa reconfortante: a amizade que nutro por muitas pessoas do FC Porto sobreviveu bem a este episódio. Podia estar aqui a dizer que as pessoas passam, a instituição fica. Não é completamente verdade. A instituição fica e cresce graças a gente muito boa e competente que a serve com dedicação e empenho totais. Em relação aos que pensam que a instituição não vive sem eles... coitados!
Enviar um comentário