terça-feira, 15 de julho de 2008

Quando o telefone toca...



A propósito do post sobre a bomba: há excepções que convém salvaguardar. Lembro-me de um episódio parecido, com uma chamada vinda não se sabe bem de onde, já muito perto da meia-noite, que acabou por originar uma notícia em primeira-mão sobre um jogador(no caso o Nuno Gomes) que se transferira por preço elevado para o Benfica. Só um jornal deu a notícia, na circunstância A BOLA, porque o jornalista que atendeu a chamada descortinou no discurso emotivo do alegado familiar de Nuno Gomes algum fundo de veracidade, desencadeando uma série de contactos que confirmaram a ida do avançado para o clube encarnado. O dito sujeito telefonou para tudo o que era jornal, mas ninguém lhe deu cavaco. Há excepções. São raras, mas convém sempre fazer duas ou três chamadas para não passar ao lado da notícia...
Enviar um comentário