domingo, 13 de abril de 2008

Grande osso


Cada vez tenho mais presente as palavras de Manuel Cajuda numa conferência de imprensa sem história, em Dezembro, nas vésperas de um jogo também sem muito para contar: «Se não chego a um grande, vou ter de fazer do Vitória um grande.» A quatro jornadas do final do Campeonato, aí está o Vitória de Guimarães estacionado no segundo lugar e com bases sólidas e argumentos consistentes para se manter por lá até ao fim. E depois do que aconteceu na Luz, com aquele enorme apagão do Benfica, já poucas dúvidas subsistem de que este Vitória de Manuel Cajuda é um Grande osso atravessado na garganta milionária de quem fez mal as contas no início da época, contratando por atacado e despedindo a seu bel-prazer.
Enviar um comentário