quarta-feira, 16 de abril de 2008

Comunicado voou com o dinheiro


O Boavista retirou da sua página oficial na Internet o comunicado dando conta do acordo assinado com Sérgio Silva para a injecção de capital (38 milhões de euros) na SAD e no clube. A Castle Shore, que nunca existiu, e os milhões do investidor que afinal não tem onde cair morto, para além de acumular mais dívidas e processos em tribunal que Vale e Azevedo, constitui um dos últimos capítulos de um folhetim ridículo e humilhante para quem lidera os destinos do clube. A urgência em apresentar um «salvador» à comunicação social, sem ter garantias da seriedade, verticalidade e passado financeiro do investidor foi fatal para Joaquim Teixeira. A teimosia em ir para a frente com uma conferência de imprensa que foi uma farsa e na qual os jornalistas (afinal os únicos que apuraram a verdade...) foram alvo de ataques inqualificáveis não foi uma mera fuga para a frente - tratou-se mesmo de um acto de cobardia.

O mais incrível: há momentos, em conferência de imprensa, Joaquim Teixeira anunciou que tudo estava sanado e que iria receber do investidor o dinheiro prometido. Curioso: hora antes, numa dramática entrevista ao Maisfutebol (Joaquim Teixeira abre o coração: «Sexta-feira o Boavista pode acabar») e quase lavado em lágrimas, o mesmo dirigente assumiu total responsabilidade por ter acreditado em quem não devia. . Eu já estou a chorar mas é com tanta palhaçada e mentira. Certo é que o tal Sérgio Silva não apareceu mais no Bessa. Outra certeza: não é o único vigarista.
Enviar um comentário